PUBLICIDADE

Publicidade

São Paulo volta a repudiar falas de Textor sobre manipulação: ‘Cure feridas dentro de campo’

Dono da SAF do Botafogo aponta goleada do Palmeiras no rival como suposto caso de fraude

PUBLICIDADE

Foto do author Redação
Por Redação
Atualização:

O São Paulo voltou a rebater falas de John Textor sobre jogos do futebol brasileiro que teriam sido manipulados. Segundo o dono da SAF do Botafogo, os resultados teriam beneficiado o Palmeiras, inclusive em uma goleada de 5 a 0 aplicada pela equipe alviverde contra os são-paulinos em 2023. Em nota, o clube trata as acusações como “feridas esportivas” e diz que espera que o Botafogo as “cure dentro de campo”.

PUBLICIDADE

“O São Paulo Futebol Clube mais uma vez é obrigado a vir a público para repudiar e refutar acusações infundadas contra a instituição e, principalmente, contra seus atletas”, diz a nota, que continua: “O clube não tolera que afirmações sem provas mais uma vez coloquem em dúvida a lisura e o profissionalismo de seus jogadores e irá seguir trabalhando para que irresponsáveis autores dessas acusações respondam em todas as esferas da Justiça e sejam banidos do futebol”.

Textor envolveu o São Paulo na sua acusação de manipulação de resultados a partir de um relatório encomendado por ele mesmo à Good Game, empresa de análises de comportamentos suspeitos em partidas. A companhia já prestava serviços ao Lyon, da França, cujo dono também é o empresário norte-americano. A denúncia cita lances em favorecimento ao Palmeiras e veio a tona após a virada do clube contra o Botafogo por 4 a 3 pela 30ª rodada do Brasileirão 2023. “O São Paulo espera que o Botafogo, um clube protagonista na história do esporte, resolva suas diferenças e cure feridas esportivas dentro de campo”, conclui o texto.

Presidente do São Paulo Futebol Clube, Julio Casares, ironizou relatório de Textor em pronunciamento durante CPI da Manipulação de resultados. Foto: Pedro França/Agência Senado

O relatório alega que houve falta de combate, erros de posicionamento e corridas em baixa intensidade entre os comportamentos suspeitos dos são-paulinos na goleada no clássico. A atuação do árbitro Raphael Claus foi considerada “normal”. Além desta partida, o documento também aponta um gol anulado do Vasco, que empataria um duelo contra o Palmeiras, também em 2023.

Em depoimento na CPI da Manipulação de Resultados, o presidente do São Paulo, Julio Casares, explicou a goleada. “Nós estávamos em uma ressaca de vitória (conquista da Copa do Brasil), fomos jogar contra um adversário e perdemos de 5 a 0. Um jogo com 3 a 0, com um jogador a menos, a coisa desandou”, explicou. “A rivalidade de um Fla-Flu, de Vasco e Flamengo ou São Paulo e Palmeiras não permite, em meu raciocínio, que possa haver, de repente, atuação (questionável) de um profissional e neste caso eu conheço meus atletas”, seguiu.

O mandatário ainda ironizou Textor e o relatório encomendado pelo empresário. “Não sei se esse estudo foi feito quando ele (Botafogo) tomou uma virada histórica do Palmeiras. É muitas vezes irresponsável. Tenho por ele um respeito, mas fiquei surpreendido e não faria isso. Levaria um estudo aos órgãos competentes, mas não faria um juízo de valor, colocando a possibilidade de um delito, uma fraude, em cima de pessoas que são profissionais”, disse Casares.

Nota do São Paulo na íntegra

O São Paulo Futebol Clube mais uma vez é obrigado a vir a público para repudiar e refutar acusações infundadas contra a instituição e, principalmente, contra seus atletas. O Clube não tolera que afirmações sem provas mais uma vez coloquem em dúvida a lisura e o profissionalismo de seus jogadores e irá seguir trabalhando para que irresponsáveis autores dessas acusações respondam em todas as esferas da Justiça e sejam banidos do futebol.

Publicidade

Por fim, o São Paulo FC espera que o Botafogo, um clube protagonista na história do esporte, resolva suas diferenças e cure feridas esportivas dentro de campo.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.