PUBLICIDADE

Publicidade

Seqüência de empates na Série B já incomoda o Corinthians

Time do técnico Mano Menezes não consegue uma vitória há três jogos e vê sua diferença diminuir na tabela

PUBLICIDADE

Por Bruno Winckler - Jornal da Tarde

A seqüência de três empates na Série B do Brasileiro preocupa os corintianos. Não por acharem que o acesso à elite esteja ameaçado. Ocorre que a ansiedade para que esse momento chegue logo começa a atrapalhar o desempenho do time dentro de campo. Afinal, os jogadores do Corinthians correm para aumentar a diferença para o quinto colocado, hoje de 13 pontos, para que o acesso se confirme com antecedência. E os empates seguidos adiam esse momento.   Veja também:  Mano Menezes reclama da falta de jogadores 'no auge'  Dê seu palpite no Bolão Vip do Limão   Para Felipe, o Corinthians tem de voltar a vencer para não sofrer tanto nesta reta final da Série B. "Os empates não chegam a nos preocupar, mas servem de alerta. No primeiro turno, tivemos um momento como esse e depois engatamos uma série de vitórias. Aconteceu o mesmo agora e a gente tem de voltar a acordar. Faltam oito rodadas e a gente não quer esticar esse sofrimento, mas, sim, conseguir o acesso. Temos de voltar logo a vencer para que nos próximos dois jogos em casa a gente consiga subir", disse o goleiro.   O técnico Mano Menezes reconhece que o time não está rendendo o esperado, mas ainda acha que o mau momento é passageiro. "O Corinthians transformou a Série B em algo menos difícil, mas a gente não pode confundir um time mais solto com um menos confortável. Não vou tirar o nosso relaxamento, mas aproveitá-lo para diminuir a pressão sobre a equipe", explicou o treinador, que no último sábado, no empate com o Santo André no Pacaembu, chegou a ser contestado pela torcida corintiana.   Apesar de estar com moral entre os corintianos, Mano Menezes ouviu no Pacaembu o primeiro coro de "burro" no ano. Isso porque depois de trocar o meia-atacante Lulinha pelo atacante Otacílio Neto no intervalo, o treinador preferiu tirar Otacílio Neto na metade do segundo tempo e dar lugar ao lateral-esquerdo Wellington Saci.   Para as críticas, Mano Menezes foi irônico. "Depois da partida, a minha mãe também sabia que o time não andava bem", disparou o técnico. "Nos últimos jogos, percebi que a equipe estava dando muito espaço aos adversários. Coloquei o Lulinha por isso. Mas o Santo André marcou forte e nos dificultou bastante. Não me omito da minha responsabilidade."   Mano Menezes lembrou ainda que a entrada de Wellington Saci foi fundamental para o empate no jogo de sábado, depois de o Santo André ter aberto 2 a 0 no placar. "Ele soltou mais o André Santos. Quero que ele ganhe mais força física. O Saci tem muita qualidade e com certeza merece mais oportunidades", disse o técnico.   PRÓXIMO JOGO No sábado, o adversário é o Bahia, em Feira de Santana (BA). E o volante Elias, que estava suspenso, volta ao time do Corinthians. Pior para Eduardo Ramos, que foi titular no início da Série B e voltará agora ao banco de reservas.   Contra o Santo André, Eduardo Ramos teve péssima atuação e perdeu a chance de recuperar posição. "A titularidade se define pelo rendimento do atleta. Em dois, três meses, muitos jogadores crescem. Outros não. Essa estagnação aconteceu com o Eduardo Ramos. Vamos ter calma para ver se ele retoma o crescimento", afirmou Mano Menezes.  

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.