PUBLICIDADE

Publicidade

Confira cinco jogos em que a torcida do São Paulo perdeu a paciência com Thiago Carpini

Técnico que chegou no começo do ano está em xeque; foram 17 jogos, com 7 vitórias, 6 empates e 4 derrotas, 25 gols marcados e 17 sofridos

PUBLICIDADE

Foto do author Redação
Por Redação
Atualização:

Thiago Carpini chegou ao São Paulo nos primeiros dias do ano com a árdua tarefa de substituir Dorival Júnior. O treinador, hoje na seleção brasileira, arrumou o vestiário, retomou a confiança do torcedor e premiou o clube com a inédita Copa do Brasil. O vácuo deixado foi enorme. A diretoria tricolor, então, foi atrás do técnico que estava no Juventude. A princípio, Carpini conquistou a Supercopa do Brasil sobre o rival Palmeiras e caiu nas graças da torcida. Mas, o namoro acabou e hoje enfrenta o momento de maior pressão no clube do Morumbi.

PUBLICIDADE

A derrota para o Fortaleza, neste sábado, dia 13, na estreia do Brasileirão 2024, escancarou a crise que se instalou no São Paulo. Gritos de “burro” dos 35.055 torcedores tomaram conta do MorumBis. Os resultados recentes não estão agradando e Carpini está em xeque. Ele mesmo admite a má fase que a equipe atravessa.

Abatido e com um tom bastante cauteloso, o técnico pediu mais um voto de confiança ao torcedor do São Paulo após o tropeço deste sábado. “Difícil falar sobre isso para o torcedor, que nos apoia muito e sempre faz uma festa linda. Mas o que posso dizer, é que estamos trabalhando”, afirmou o treinador em entrevista coletiva na noite deste sábado.

Na corda bamba: Thiago Carpini é visto com desconfiança pela torcida do São Paulo Foto: Rubens Chiri/São Paulo FC

O aproveitamento de Thiago Carpini à frente do São Paulo é o seguinte: 17 jogos, com 7 vitórias, 6 empates e 4 derrotas. São 25 gols marcados e 17 sofridos. O time tricolor fez apenas quatro jogos desde 17 de março, sendo três tropeços em três competições diferentes: eliminação no Paulistão para o Novorizontino, estreia com derrota para o Talleres na Libertadores e a queda para o Fortaleza no Brasileirão. Confira, a seguir, cinco jogos em que a torcida do São Paulo perdeu a paciência com seu técnico:

São Paulo 1x2 Fortaleza - 14/04/2024

Havia motivos para acreditar que o São Paulo pudesse superar a má fase na estreia do Brasileirão. Quem foi ao MorumBis, porém, assistiu a um time desorganizado, improdutivo e desesperado, graças ao criticado de Carpini. O Fortaleza soube aproveitar o momento e venceu por 2 a 1.

A impaciência da torcida - bem justificada - sobre o treinador prejudica sistematicamente o elenco. O relógio, desde o primeiro minuto, se tornou um adversário para o São Paulo. A responsabilidade pelo péssimo momento não é inteiramente do técnico, mas é ele quem paga por isso. O Fortaleza, que não tem nada a ver com isso, conseguiu seu quarto resultado positivo seguido no MorumBis pelo Brasileirão.

São Paulo 2x0 Cobresal - 10/04/2024

Mesmo com a vitória contra o Cobresal pela Libertadores, Carpini viveu um dos momentos de maior tensão desde que chegou ao São Paulo, com vaias e um time que jogou menos do que já mostrou que pode. A bronca da torcida, contudo, vem ocorrendo desde a eliminação no Campeonato Paulista para o Novorizontino.

Publicidade

O placar de 2 a 0 mascarou a dificuldade que foi a partida para a equipe tricolor. Com três zagueiros, o São Paulo teve dificuldade em furar bloqueios dos rivais. Também sofreu com as poucas chances criadas pelo adversário. Rafael precisou salvar o time algumas vezes. A cautela defensiva, além de não funcionar, impediu maior dedicação no ataque, com os gols saindo apenas nos últimos dez minutos de jogo.

Talleres 2x1 São Paulo - 04/04/2024

Com o título da Copa do Brasil, o São Paulo voltou a disputar a competição que mais gosta: a Libertadores. Mas, o sonho começou com um pesadelo. Três jogadores importantes - Rato, Rafinha e Lucas - saíram machucados logo no primeiro tempo. E pior: Carpini mexeu mal na equipe, com decisões equivocadas, que acarretaram em um gol do Talleres no apagar das luzes do primeiro tempo.

James Rodríguez foi uma grande decepção. No momento em que deveria assumir a responsabilidade e liderar o time, o colombiano sumiu no jogo. Quem se mostrou, de fato, indispensável foi Luciano.

São Paulo 1(4)x(5)1 Novorizontino - 17/03/2024

São Paulo e Novorizontino fizeram um bom jogo no MorumBis, com o classificado sendo conhecido apenas na disputa de pênaltis após empate por 1 a 1. O time de Novo Horizonte foi mais eficiente nas cobranças, vencendo por 5 a 4 e garantindo vaga na semifinal do Campeonato Paulista. Michel Araújo e Diego Costa foram os vilões ao isolarem suas penalidades.

PUBLICIDADE

A impaciência dos torcedores foi tomando forma ao passar do tempo. Os são-paulinos queriam James Rodríguez em campo. Thiago Carpini demorou bastante para atender. Rafinha, inclusive, precisou pedir calma quando as vaias começaram nas arquibancadas. O colombiano não resolveu nos 18 minutos que pôde jogar.

Ituano 2x3 São Paulo - 10/03/2024

O São Paulo se classificou para as quartas do Paulistão, mas passou sufoco. Contra o Ituano, o time tricolor deixou a desejar muito por culpa do seu treinador, Thiago Carpini. A equipe tinha obrigação de fazer um jogo mais tranquilo contra um rival rebaixado. Lucas Moura foi herói ao converter um pênalti marcado aos 53 minutos do segundo tempo. Ferreirinha e Luciano fizeram os outros gols que garantiram a vaga na próxima etapa. A exibição naquela ocasião trouxe mais preocupações do que satisfação.

Insatisfeito, Carpini respondeu provocações e explicou os gestos que fez direcionados às arquibancadas após o gol que deu a vitória no Estádio Novelli Júnior. O técnico colocou as mãos nas orelhas, indicando querer ouvir os gritos que vinham do público. O comandante disse que pessoas conhecidas por ele, com quem tem inimizades, o estavam provocando ao longo de todo o jogo.

Publicidade

“Respeito muito o Ituano, conheço e respeito quem trabalha aqui. De maneira nenhuma quis desrespeitar o clube e os profissionais. Não vou entrar no mérito da questão, mas havia três ou quatro pessoas no alambrado que eu conheço e são desafetos que a vida nos dá. Quando você está em um estádio pequeno e desde o começo ouvi ofensas de cunho pessoal com o nome dos meus filhos e mulher. Essas pessoas sabem quem são. Foi uma resposta de 90 minutos de coisas muito pessoais e pesadas. O erro foi ter me desequilibrado e ter respondido, mas a gente tem limite e não arrependo”, explicou Carpini.