PUBLICIDADE

Publicidade

Helinho e organização da Indy lamentam cancelamento de prova em Brasília

Foto do author Redação
Por Redação
Atualização:

A notícia do cancelamento da etapa de Brasília da Fórmula Indy em 2015 surpreendeu o brasileiro Hélio Castroneves. Vice-campeão da categoria em 2014, o piloto da Penske disse que o acordo para a realização da prova, no dia 8 de março, estava "bem encaminhado"."Eu fui pego de surpresa, pois tudo até onde eu sabia estava caminhando bem. É uma pena que a corrida tenha sido cancelada, mas confio que uma solução possa ser dada a esse problema futuramente. Eu lamento pelos fãs, mas coisas como essas fogem do controle das equipes e dos pilotos".O Brasil recebeu a Fórmula Indy pela última vez em 2013, no circuito de rua montado em São Paulo, em torno do sambódromo do Anhembi. O País ficou fora do calendário da competição no ano passado.A etapa de 8 de março em Brasília marcaria a abertura da temporada, que agora terá um total de 17 provas. Com o cancelamento, a primeira corrida do ano passa a ser a de St. Petersburg, na Flórida (EUA), em 29 de março. O Brasil tem dois pilotos inscritos para a temporada: Tony Kanaan, da Ganassi, e Castroneves.A IndyCar, a entidade responsável pelo campeonato da Fórmula Indy, publicou um comunicado oficial em seu site para também lamentar o cancelamento da Indy em Brasília. O cancelamento foi divulgado na tarde desta quinta-feira, em comunicado publicado pela TV Bandeirantes. Sem dar maiores detalhes, a emissora, que transmitiria a prova, afirmou que a Terracap, agência de desenvolvimento do Distrito Federal, "cancelou unilateralmente" a corrida."O anúncio de hoje, pela Band, de que a corrida da Indy de 8 de março, em Brasília, está cancelado, foi ao mesmo tempo inesperado e desapontador. A IndyCar recebeu todas as indicações de que a corrida já era um sucesso: dois terços dos assentos disponibilizados para o evento haviam sido vendidos; um patrocinador master para o evento (Itaipava) fora anunciado na véspera; o setor de hospitalidade todo vendido; e a construção da pista estava progredindo e dentro do cronograma", iniciou o comunicado, que depois completou: "Embora não tenhamos recebido confirmação formal de nossos parceiros no Brasil a respeito do cancelamento, economicamente a Indy está protegida e o paddock está protegido contra essa atitude".O Ministério Público do Distrito Federal, por sua vez, destacou que a Band está sujeita a pagamento de R$ 80 milhões, conforme contrato celebrado pela emissora com a Indy.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.