PUBLICIDADE

Publicidade

Kaká aparece, mas mistério continua

Meia se 'exibe' em público e corre pela 1ª vez desde que chegou a Curitiba, antes de o médico da seleção cancelar entrevista para falar sobre o astro

Por , Silvio Barsetti e Wagner Vilaron
Atualização:

ENVIADOS ESPECIAIS / CURITIBANem imagens de helicóptero ou outras captadas por câmeras sobre lajes e muros que circundam o Centro de Treinamento do Atlético-PR tinham flagrado por um instante ao menos o meia Kaká desde que ele chegou a Curitiba na quinta-feira. Ontem à tarde, no entanto, o craque do Real Madrid deixou a clausura, fez alguns exercícios físicos e correu pelo campo. O maior nome da seleção para a Copa do Mundo, enfim, apareceu. Mas, como tudo o que gira em torno de Kaká na fase de preparação da equipe parece cercada de mistério, a entrevista do médico José Luís Runco, prevista para o início da noite, na qual daria detalhes sobre a recuperação do atleta, foi cancelada.A ausência de Runco na sala de imprensa foi justificada rapidamente: ele estaria ocupado com os exames clínicos do goleiro Julio Cesar, que só ontem chegou à capital paranaense após disputar a final da Copa dos Campeões da Europa pela Inter de Milão. A assessoria da CBF informou que Kaká treinou normalmente e estava bem.Dúvidas, porém, sobre o estado geral de Kaká ainda permanecem. Na sexta-feira, o médico disse que estava otimista quanto à recuperação do atleta - vinha de uma lesão na coxa esquerda. Deixou claro, contudo, que Kaká ainda apresentava um pequeno edema no local da contusão. Runco desconsideraria essa "pequena sequela da lesão" e previa que o jogador disputaria o Mundial nas mesmas condições físicas do que os demais convocados do técnico Dunga.Tom diferente. A dificuldade da comissão técnica em falar sobre o caso ganhou força na semana passada. Poucas horas antes da apresentação dos convocados, chegou a informação de que Kaká e o atacante Luís Fabiano se apresentariam com problemas físicos. Ao ser indagado sobre os dois casos, Runco adotou palavras e, sobretudo, tons diferentes. Sobre Luís Fabiano, o médico demonstrou mais tranquilidade. "É uma lesão leve, que não nos preocupa. Está tudo bem", afirmou. Já a respeito de Kaká a história foi um pouco diferente. "Sobre ele, eu não sei. Não tivemos informação." Poupado de entrevistas em Curitiba, de onde a seleção segue hoje para a África do Sul, Kaká passou a maior parte do tempo, nos últimos dias, submetendo-se a várias sessões de fisioterapia. Recebeu tratamento especial e terá atividades extras assim que a delegação chegar a Johannesburgo. Uma das tentativas da direção de comunicação da CBF para aliviar a pressão sobre o caso Kaká é fazer com que o meia - principal estrela da seleção no Mundial - seja o primeiro a dar entrevista em solo sul-africano. PARA LEMBRARDesacreditados, Ronaldo e Rivaldo garantiram o pentaRonaldo e Rivaldo também enfrentaram sérios problemas físicos antes da Copa de 2002, mas deram a volta por cima e, com boas atuações, foram decisivos no pentacampeonato. Em 2000, Ronaldo tinha machucado o joelho direito, ficou 5 meses afastado e, quando voltou, rompeu o tendão e foi operado novamente. Acima do peso e fora de forma, sofreu duras críticas. Rivaldo não tinha atuações convincentes na seleção e, para piorar, enfrentava contusões no tornozelo e no joelho. Mas os dois juntos marcaram em todos os jogos, feito nunca conseguido por outra dupla campeã mundial.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.