PUBLICIDADE

Publicidade

'Trabalho para ter chance de lutar pelo cinturão’, diz Ronaldo Jacaré

Caso alcance uma vitória hoje nos EUA sobre Jack Hermansson, próxima luta do brasileiro será pelo título dos médios

PUBLICIDADE

Por Luis Filipe Santos
Atualização:

Ronaldo Jacaré vive a expectativa de lutar pelo cinturão dos pesos médios (até 84kg) do UFC. Contudo, o capixaba de 39 anos precisa vencer uma última luta, antes de pensar em ser o desafiante: ele enfrenta Jack Hermansson hoje, no UFC Fight Night 150, em Fort Lauderdale, Flórida. Caso vença, ele recebeu a promessa da organização de que desafiará o campeão da categoria. 

No cartel no MMA, Jacaré tem 26 vitórias e seis derrotas, sendo que nas últimas quatro lutas ele derrotou Derek Brunson e Chris Weidman e foi derrotado por Robert Whittaker e Kelvin Gastellum. 

Ronaldo Jacaré, lutador do UFC Foto: reprodução/ Instagram @ronaldojacare

PUBLICIDADE

Quarto no ranking, Jacaré está em boa posição para lutar pelo cinturão, mas não sabe quem o defenderá, caso ele vença Hermansson: se Robert Whittaker, campeão definitivo, mas há muito tempo sem lutar, ou Israel Adesanya, campeão interino. Whittaker e Adesanya se enfrentarão antes que Jacaré possa encarar um dos dois. Ao Estado, ele fala sobre a luta com Hermansson e sobre o que projeta para o futuro.

Como foi a preparação para esta luta? Tive um bom tempo de treinamento e me preparei muito bem, estou numa forma física muito boa, é como se fosse luta pelo cinturão. Acredito que estou melhor que nunca. Melhorou muito a parte física, a parte de movimentação também melhorou bastante e o jiu-jítsu continua afiado.

Inicialmente, você não iria lutar com o Hermansson. A troca de adversário atrapalhou? Foi uma negociação bem complicada mas não atrapalhou.

Qual você acha que será a estratégia do Hermansson? Acho que ele vai andar bastante no octógono, tentar usar a parte em pé dele, não vai querer ir pro chão comigo. Acredito que seja essa a estratégia.

Nas últimas quatro lutas, você ganhou duas e perdeu duas. O que causou essa oscilação? O tempo, acho que deveria ter tido mais tempo para descansar o corpo, foi uma luta em cima da outra. Também, os adversários foram de alto nível, dos melhores, estavam bem no dia da luta e mereceram.

Publicidade

Como você projeta os próximos meses, após o combate com o Hermansson? Pretendo vencer essa luta (contra Hermansson) e fazer o combinado, para ter minha chance de lutar pelo cinturão. Um passo de cada vez, preciso vencer aqui para ter uma oportunidade e aí penso no resto. 

Você tem procurado trabalhar aspectos do seu MMA, não somente pensando nesta luta, mas num geral? A gente está sempre procurando evoluir. Tenho procurado trabalhar minhas movimentações, melhorado bastante, e estou feliz com a evolução. Acredito que com o tempo vou melhorar ainda mais.

Você tem a expectativa de voltar a lutar no Brasil? Não sei onde vão me colocar para lutar, mas seria ótimo ter a oportunidade de lutar na minha casa de novo e contar com a torcida. Até lá, estou bem treinado, bem focado e tenho confiança na vitória nesta próxima luta.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.