PUBLICIDADE

Foto do(a) blog

Futebol: bastidores e opinião

Corinthians épico

Vitórias épicas costumam entrar no repertório de times com patente de campeão. Vitórias épicas, com boa dose de sorte, também embalam times com vocação para levantar a taça. Esses conceitos, tão comuns nas noites de quarta-feira ou tardes de domingo, cabem muito bem no Corinthians.

Por Luiz Prosperi
Atualização:

Vencer com um gol de cabeça, aos 42 minutos do segundo tempo, diante de um Pacaembu transbordando de aflição, quando tudo caminhava para decisão nos pênaltis, só mesmo o Corinthians. Porque ver Diego Souza, um jogador extraclasse, perder um gol diante de Cássio, com braços com poder da asa da águia, e jogar a classificação fora, só mesmo o Corinthians.

Não por acaso, o time está na semifinal da Libertadores, depois de longos e torturantes 12 anos. O sonho distante, quase centenário, está mais próximo. A Fiel reza.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.