PUBLICIDADE

Publicidade

Resumo do Pan 2023: Brasil vence tudo na ginástica rítmica e supera campanha de Lima

País domina pódios nesta sexta-feira e ultrapassa número de ouros conquistados em 2019

PUBLICIDADE

Foto do author Róbson Martins
Por Róbson Martins
Atualização:

A ginástica rítmica brasileira teve mais um dia impecável nos Jogos Pan-Americanos de Santiago 2023, no Chile. O Brasil conquistou o ouro nas três finais da modalidade que disputou nesta sexta-feira, 3. Além disso, atletas do País ainda venceram na vela, atletismo, hipismo e wrestling.

Com o resultados de hoje, o Brasil chegou a 56 medalhas de ouro e superou a campanha de Lima 2019, quando subiu ao topo do pódio 54 vezes.

Veja os destaques brasileiros do dia:

Brasil é impecável na ginástica rítmica e País supera campanha em Lima 2019. Foto: Luisa Gonzalez/Reuters

Ginástica rítmica

PUBLICIDADE

A ginástica rítmica brasileira dominou os pódios, com cinco medalhas conquistadas nesta sexta-feira e dobradinha dupla nas finais individuais do arco e da bola. Assim, o País segue como o vencedor de todas as provas na modalidade.

A estreante em Pans Maria Eduarda Alexandre, de apenas 16 anos, marcou 32,700 pontos para subir ao topo do pódio na bola, enquanto Bárbara Domingos (32,550) ficou com a prata. Na bola, foi a vez de “Babi” (33,000) garantir o primeiro lugar. A também brasileira Geovanna Santos (31,650) terminou em segundo.

Nos cinco arcos, a equipe brasileira, formada por Bárbara Galvão, Gabriella Castilho, Giovanna Oliveira, Victória Borges e Nicole Pircio, recebeu nota 35,850 para manter a invencibilidade nesta edição do Pan. Já são cinco medalhas de ouro. O pódio foi completado por México (prata) e Estados Unidos (bronze).

Brasil conquista mais um ouro nas cinco argolas em Santiago 2023. Foto: Luisa Gonzalez/Reuters

Vela

Na vela, o kitesurf rendeu ao Brasil dois títulos nesta sexta-feira. Com um desempenho espetacular, Bruno Lobo levou a sua segunda medalha de ouro em Jogos Pan-Americanos. A primeira foi em Lima 2019. Ele dominou a disputa do início ao fim, vencendo 16 das 17 regatas. Tiger Tyson, de Antígua e Barbuda, conquistou a prata. Deury Corniel Javier, da República Dominicana, ficou com o bronze.

Já no feminino, Maria do Socorro Reis ficou com o bronze. Ela terminou em terceiro, atrás apenas da americana Daniela Moroz e da argentina Catalina Turienzo.

Publicidade

Martine Grael e Kahena Kunze também confirmaram o favoritismo, sagrando-se campeãs na classe 49er FX. Elas já haviam vencido em Lima 2019 e ficaram com a prata em Toronto 2015. A prata ficou com a dupla do Canadá, enquanto os Estados Unidos terminaram em terceiro.

“Foi bem divertido, principalmente nos primeiros dias com mais onda. Difícil a gente conseguir pegar essas condições, mas gostamos bastante. O Chile é um país incrível. Passamos um pouco de frio, mas foram regatas sensacionais. Vão ficar na memória”, disseram Martine e Kahena.

O Brasil ainda foi campeão no windsurfing (iQFoil). Mateus Isaac, que havia sido terceiro na classificatória, fez uma final espetacular e acabou subindo no lugar mais alto do pódio. Ethan Westera, de Aruba, foi prata, à frente de Noah Lyons, dos Estados Unidos, que ficou com a medalha de bronze.

Atletismo

Campeão em Lima 2019, o favorito Darlan Romani não decepcionou e ganhou novamente no arremesso de peso com 21,36m. A marca que garantiu o bicampeonato do brasileiro foi 21 cm à do mexicano Uziel Muñoz, prata com 21,15m. O americano Jordan Geist (20m53) completou o pódio, enquanto o também brasileiro Wellington Silva (20m26) acabou em quinto.

Brasileiro Darlan Romani se torna bicampeão pan-americano em arremesso de peso. Foto: Dylan Martinez/Reuters

Marlene Santos (57s18) ficou com ouro nos 400m com barreiras feminino após a desclassificação da vencedora panamenha, Gianna Ursula. No masculino, Matheus Lima (49s69) bateu na trave, e Marcio Soares (50s80) terminou na sétima posição.

Por fim, Almir Santos foi prata no salto triplo com 16,92m contra 17,19m do campeão cubano Lázaro Martínez.

Caratê

Douglas Brose (60Kg) e Brenda Padilha (+68kg) foram superados por seus adversários nas semifinais do caratê e terminaram com o bronze. Não há disputa de terceiro lugar na modalidade.

Publicidade

Hipismo

Após conquistar uma medalha de bronze no salto por equipes, o hipismo brasileiro assegurou mais um ouro na modalidade. Com seu cavalo Chevaux Primavera Império Egípcio, Stephan Barcha fez uma grande apresentação e se garantiu no lugar mais alto do pódio nos Jogos Pan-Americanos de Santiago. Kent Farrington e McLain Ward, ambos dos Estados Unidos, ficaram, respectivamente, com prata e bronze.

Stephan Barcha foi o terceiro brasileiro a vencer no individual do hipismo, igualando os cavaleiros Nelson Pessoa e Marlon Zanotelli. O feito foi através de uma apresentação perfeita, na qual cometeu apenas uma falta, já na última barreira, quando já parecia comemorar a vitória. Foram três rodadas sem derrubar obstáculos.

Stephan Barcha garante mais um ouro para hipismo brasileiro em Santiago. Foto: Marina Ziehe/COB

Outro brasileiro na disputa, Pedro Veniss ficou muito próximo de se juntar ao pódio com Barcha, mas acabou cometendo uma falta na última passagem, que o tirou da terceira colocação e o deixou no quinto lugar.

Canoagem velocidade

A dupla baiana Evandilson Neto e Filipe Vieira (1min43s52) ficou na segunda colocação na final do C2 500m, conquistando a primeira medalha do Brasil na canoagem velocidade em Santiago 2023. Os brasileiros não largaram bem, mas aceleraram no final da prova para chegar atrás dos canadenses (1m42s12).

Vôlei

No vôlei masculino, o Brasil foi superior do inicio ao fim da semifinal e eliminou a Colômbia por 3 sets a 0, com parciais de 26/34, 25/18 e 25/15. A decisão do torneio acontece neste sábado, 4, contra a Argentina.

Brasil supera Colômbia no vôlei e encara Argentina por ouro em Santiago 2023. Foto: Alexandre Loureiro/COB

Wrestling

Após Giullia Penalber ter levado o título pan-americano na categoria até 57kg estilo livre, a aniversariante do dia, Laís Nunes, bateu a cubana Maria Santana com autoridade para conseguir mais ouro nos 62kg do wrestling.

O outro finalista do dia, Joilson Júnior, foi prata na luta greco-romana 77kg. O atleta natural de Niterói (RJ) perdeu na decisão para Kamal Bey, dos Estados Unidos.

Publicidade

Esgrima

Nas quartas de final do sabre feminino por equipes na esgrima, o Brasil foi derrotado pela Argentina por 45 a 39. Já no florete masculino, a equipe brasileira derrotou o Chile por 45 a 36 e ficou com a medalha de bronze.

Handebol

O Brasil venceu os Estados Unidos por 40 a 27 avançou à decisão do handebol masculino. O adversário da final, no sábado, é a Argentina, que passou pelo Chile também nesta sexta.

Seleção brasileira de handebol enfrenta Argentina em final de Santiago. Foto: Gaspar Nóbrega/COB

Basquete

A seleção brasileira masculina jogou mal e acabou caindo na semifinal do basquete após derrota por 84 a 77 para a Venezuela. Agora resta aos brasileiros a disputa do bronze diante do México no sábado.

Tiro com arco

No tiro com arco, Marcus D’Almeida e Ana Machado venceram os mexicanos Matias Grande e Alejandra Valencia por 6 a 2 e carimbaram vaga na decisão contra a equipe dos Estados Unidos, que acontecerá no domingo.

Ana Machado ainda vai disputar no mesmo dia a semifinal do arco recurvo e garantiu, inclusive, uma vaga em Paris 2024. A decisão será contra a americana Casey Kaufhold.