PUBLICIDADE

Foto do(a) blog

O dia a dia dos alunos do Curso Estado de Jornalismo Esportivo

O legado da Copa no Rio Grande do Sul

Hinos que não tocaram, festas de parar o trânsito, invasão hermana, entre outros momentos ficarão marcados na história gaúcha

PUBLICIDADE

Por Seleção Universitária
Atualização:

Hinos que não tocaram, festas de parar o trânsito, invasão hermana, entre outros momentos ficarão marcados na história gaúcha

Estádio Beira-Rio recebeu cinco jogos do Mundial (Ivo Gonçalves-PMPA/Divulgação) Foto: Estadão

 

Lucas Oliveira - especial para O Estado de S. Paulo

PORTO ALEGRE - São muitas as memórias da Copa do Mundo que ficarão na mente dos gaúchos. Mesmo com os rumores do risco de perder a chance de sediar o Mundial a poucos meses do início, em função do atraso das obras, Porto Alegre viveu momentos que só um evento deste porte poderia proporcionar.

Mais de 100 mil estrangeiros passaram pelo "Caminho do Gol" (Divulgação) Foto: Estadão

PUBLICIDADE

Caminho do Gol. Segundo a prefeitura de Porto Alegre, mais de 100 mil estrangeiros passaram pelo local. A medida consistiu em fechar uma das vias da Avenida Borges de Medeiros para que os torcedores pudessem ir a pé para o Beira-Rio, desde o centro da cidade. A iniciativa foi muito bem-sucedida e elogiada pela Fifa, que já estuda adotar em futuras edições do Mundial. O prefeito José Fortunati quer introduzir o "Caminho do Gol" também em jogos de Grêmio e Internacional.

Banda da Brigada Militar. Tocando "Show das Poderosas", "Lepo-Lepo", "Beijinho no Ombro", a banda da Brigada Militar atraiu a atenção de quem passou pelo "Caminho do Gol". Eles se juntaram à tradicional bandinha que sempre acompanha a seleção holandesa, Factor 12, e tocaram "Aquarela do Brasil".

Publicidade

Torcedores desfilam pelas ruas de Porto Alegre (Ricardo Giusti-PMPA/Divulgação) Foto: Estadão

Orange Fest e 'Oktoberfest' fora de época. Alemães e holandeses pintaram as ruas da capital gaúcha do Largo Glênio Peres, no centro, por 3,5 quilômetros até o Beira-Rio. A Orange Fest serviu de aquecimento para a vitória holandesa por 3 a 2 no jogo contra a seleção australiana, no dia 18 de junho. Uma passeata que começou com três mil torcedores, foi arrastando a todos que passavam pelo "Caminho do Gol". Já os germânicos fizeram uma Oktoberfest fora de época, com direito a bandinhas típicas e muito chopp.

Argentinos. Quarta-feira, 25 de junho, o dia em que Porto Alegre se transformou em Buenos Aires. Apesar do receio de que muitos 'barras bravas' - tradicional torcida argentina, mundialmente conhecida por causa dos atos de vandalismo e brigas -viessem, o que acabou não se confirmando, cerca de 100 mil argentinos invadiram a capital gaúcha, a maioria veio sem ingresso na esperança de arranjar entradas na última hora para assistir ao confronto contra a Nigéria. Até um "acampamento" improvisado no Parque Harmonia abrigou 2,5 mil hermanos.

Os hinos que não tocaram. Na primeira partida de Copa do Mundo na história do Beira-Rio, os hinos não foram tocados. Por causa de uma falha nos cabos de transmissão de dados, um silêncio constrangedor prevaleceu quebrando o protocolo da Fifa na partida entre França e Honduras, no dia 15 de junho.

'Tecnogol'. Pela primeira vez na história das Copas, um gol foi validado com a ajuda da tecnologia. Na partida entre França e Honduras, o árbitro brasileiro Sandro Meira Ricci confirmou o gol contra do goleiro hondurenho Valladares, com a ajuda do Goal Control Tecnology (Tecnologia de Controle do Gol, traduzido) - um sistema de sete câmeras de alta resolução que ficam em cada gol fazendo um monitoramento em três dimensões da área atrás da linha do gol e que transmitem, em menos de um segundo, sinal para um relógio usado pelo árbitro.

Viamão. A cidade da região metropolitana de Porto Alegre foi a única do RS a hospedar uma das seleções que disputaram o Mundial. A delegação equatoriana foi aguardada por cerca de 10 mil pessoas e chegou em cima de um trio elétrico na Praça da Matriz. Não bastasse isso, o craque do time, Antônio Valencia, recebeu a chave da cidade e uma benção foi concedida em português e espanhol por um padre do município.

Publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.