PUBLICIDADE

Publicidade

Monteiro ganha do nº 4 do mundo, Wild vence e Brasil fica perto de volta à elite da Davis

Equipe brasileira precisa de mais um triunfo nos próximos três jogos para confirmar a conquista da vaga

PUBLICIDADE

Foto do author Redação
Por Redação
Atualização:

O Brasil deu um grande passo para o retorno à elite do tênis nesta sexta-feira, ao ganhar os dois jogos na casa da Dinamarca pelo Grupo Mundial I da Copa Davis. Thiago Monteiro obteve virada gigante diante de Holger Rune, sua maior da carreira, e Thiago Wild passou sem sustos por August Holmgren para deixar o País a um triunfo do acesso.

PUBLICIDADE

O Brasil vinha de vitória sobre a China nos playoffs, no começo do ano, e pode celebrar seu retorno ao neste sábado, com Thiago Monteiro, que deve abrir o dia diante de Holmgren como favorito e pode carimbar uma gigante vitória verde e amarela.

Nesta sexta, Monteiro buscou uma virada incrível diante do Holger Rune para celebrar sua primeira vitória diante de um Top 5 no circuito mundial. E na lotada casa do oponente. O brasileiro fez um grande primeiro set, mas caiu no tie-break. Manteve o ritmo nas parciais seguintes e buscou o triunfo, com 6/7 (4/7), 7/6 (7/5) e 6/2.

Brasil abre a Copa Davis com duas vitórias e fica perto da vaga na elite do tênis Foto: Divulgação CBT

Os tapas no peito após o último ponto, em nova quebra de serviço do dinamarquês com cruzada de direita, mostraram o quão confiante o brasileiro estava na vitória. Ele deu soco no ar e após cumprimentar o oponente na rede, recebeu muitos cumprimentos da equipe nacional.

Desde Wimbledon que o número quatro do mundo não ganha um jogo. Querendo quebrar o jejum, apostava na força da torcida e na quadra coberta e rápida de Hillerod para confirmar seu favoritismo. Pelo frente, porém, tinha um adversário experiente e que não desistiu de nenhuma bola.

Esse espírito de luta foi vital para Monteiro celebrar sua maior vitória da carreira. Depois de abrir o jogo com o serviço quebrado e caminhar em desvantagem até 5 a 3, o brasileiro conseguiu reagir e buscar a igualdade, levando a definição para o tie-break. Na decisão da parcial, viu Rune emplacar três pontos seguidos para fechar o set em 7/6 com 7/4.

Nada, porém, de desistir, mesmo com 4 a 2 contrários no segundo set. O dinamarquês quebrou o saque de Monteiro duas vezes, mas as respostas foram de imediato, não deixando Rune confortável em quadra. Tal determinação valeu o set, com 7 a 5 em novo tie-break após largar com 3 a 0 contra.

Publicidade

Não aproveitar as oportunidades parece ter desanimado o tenista local. Ao mesmo tempo em que a virada na parcial deixou Monteiro gigante para a definição da partida. Depois de irem iguais até 2 a 2, o brasileiro se impôs e fechou com quatro pontos seguidos após 2h59 de partida.

Antes de superar Rune, a maior vitória da carreira de Thiago Monteiro havia sido em 2016, quando fez 6/3, 3/6 e 6/4 no francês Jo-Wilfried Tsonga, então o nono do mundo. Sem tempo para celebrar, o tenista cearense já volta à quadra neste sábado, diante de August Holmgren.

O oponente, apenas o 412º do mundo, atuou no segundo jogo do dia nesta sexta-feira contra Thiago Wild. E também não foi páreo para uma boa apresentação verde amarela. O brasileira necessitou de somente 1h29 para fechar a partida. No primeiro set, quebrou o saque do adversário na sétima parcial para caminhar para os 6/4.

Wild foi ainda mais forte no segundo set, no qual chegou a abrir 5 a 1 aproveitando dois break points. Ele chegou em 6/2 no segundo match point. Neste sábado, invertendo papéis com Monteiro, ele encara Holger Rune.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.