PUBLICIDADE

Ucraniana se recusa a cumprimentar adversária russa e é desclassificada do Mundial de esgrima

Após o combate entre as atletas, Anna Smirnova, da Rússia, fica sentada em cadeira durante 50 minutos e ‘para’ a competição até definição pela eliminação de Olga Kharlan

Foto do author Redação
Por Redação
Atualização:

Uma cena marcou o Campeonato Mundial de esgrima, realizado na Itália, nesta quinta-feira, dia 27. O combate entre a ucraniana Olga Kharlan e a russa Anna Smirnova terminou com as duas eliminadas. Após a vitória por 15 a 7 de Kharlan, a esgrimista da Ucrânia se recusou a cumprimentar a adversária do país de Vladimir Putin e foi desclassificada da competição. Smirnova não deixou o local da prova depois de ser derrotada em protesto e não teve sua eliminação revertida também.

PUBLICIDADE

O confronto entre as duas atletas nesta quinta-feira foi cercado de expectativa. Por causa da guerra entre Ucrânia e Rússia, Olga Kharlan teve de receber uma autorização governamental para ir para o combate, já que em torneios deste tipo atletas ucranianos não podem enfrentar russos. Na disputa, Kharlan, que é quatro vezes campeã mundial e dona de um ouro e dois bronzes olímpicos, dominou e ficou com o triunfo.

Após o duelo, a atleta da Ucrânia se recusou a encostar em Anna Smirnova e causou mal-estar nos árbitros e organizadores. Por regulamento, a atleta que não cumprimentar a adversária após o fim de um confronto é advertida com um cartão preto, que significa a eliminação da competição e uma suspensão de dois meses.

Mundial de esgrima teve uma cena inusitada em confronto entre ucraniana e russa  Foto: Tibor Illye/MTI via AP

Apesar do regulamento obrigar a eliminação de Kharlan, a comissão do Mundial de esgrima demorou para oficializar a desclassificação. Durante o tempo em que a arbitragem e a direção da prova definiam o que fazer, Anna Smirnova permaneceu na área de competição sentada em uma cadeira.

Depois de cerca de 50 minutos de análise, a organização do Mundial de esgrima oficializou a eliminação da representante ucraniana por não ter cumprimentado a adversária. Apesar de ter ficado todo o tempo esperando a definição da punição, Anna Smirnova não ficou com a vaga e também deu adeus para a competição.

Após o anúncio da desclassificação, o Comitê Olímpico Internacional (COI) e a Federação Ucraniana de esgrima enviaram comunicado para a Federação Internacional de Esgrima pedindo que o caso fosse reconsiderado e a atitude fosse entendida de uma outra forma, mas a eliminação não foi revogada. Rússia e Ucrânia estão em guerra há mais de um ano.

Tudo Sobre
Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.