PUBLICIDADE

Publicidade

Cristiano Ronaldo salta para top-3 dos mais ricos; Neymar está abaixo e há uma mulher; veja fortunas

Cinco esportes dominam o top-10; o primeiro da relação ganha mais dinheiro depois que parou de atuar

Foto do author Leonardo Catto
Por Leonardo Catto
Atualização:

Os aportes do Fundo de Investimento Público da Arábia Saudita (PIF, na sigla em inglês) no futebol do país mostram resultados em cifras e nos astros que chegam para tornar o campeonato local mais atraente. Cristiano Ronaldo foi um dos primeiros a fazer o movimento, quando foi para o Al-Nassr. Menos de um ano depois, ele saltou para o terceiro lugar do ranking de atletas mais bem pagos da história. A lista foi atualizada pelo Sportico, portal especializado em negócios do esporte, no último dia 7, e aponta apenas esportivas no top-10.

PUBLICIDADE

O golfe saudita também recebeu impulsionamentos na LIV Gof, liga do país e uma das que mais pagam no mundo. Três atletas do top-10 da Sportico são golfistas. Tiger Woods é o segundo na classificação geral, com fortuna estimada de US$ 2,66 bilhões (R$ 13,23 bilhões). Além do golfe e do futebol, há atletas de basquete, tênis e boxe nos dez primeiros postos.

A lenda do basquete Michael Jordan ocupa o topo da lista. O ex-atleta assinou com a Nike em 1984, quando foi draftado pelo Chicago Bulls. Isso mudou o destino dele e da marca. Jordan acumula fortuna de US$ 3,75 bilhões (R$ 18,6 bilhões). Aposentado há 20 anos, ele continuou a faturar e chegou a ganhar ainda mais anualmente do que recebia enquanto era jogador. Os valores de todos os ganhos dos atletas foram corrigidos pela inflação.

Michael Jordan lidera a lista, com maior parte da fortuna oriunda do acordo comercial com a Nike, fora das quadras, Foto: NBA via X

Top-10 atletas mais bem pagos da história

  1. Michael Jordan (basquete): US$ 3,75 bilhões (R$ 18,6 bilhões)
  2. Tiger Woods (golfe): US$ 2,66 bilhões (R$ 13,23 bilhões)
  3. Cristiano Ronaldo (futebol): US$ 1,92 bilhão (R$ 9,55 bilhões)
  4. Arnold Palmer (golfe): US$ 1,76 bilhão (R$ 8,75 bilhões)
  5. LeBron James (basquete): US$ 1,7 bilhão (R$ 8,46 bilhões)
  6. Jack Nicklaus (golfe): US$ 1,67 bilhão (R$ 8,31 bilhões)
  7. Lionel Messi (futebol): US$ 1,67 bilhão (R$ 8,31 bilhões)
  8. David Beckham (futebol): US$ 1,5 bilhão (R$ 7,46 bilhões)
  9. Roger Federer (tênis): US$ 1,49 bilhão (R$ 7,41 bilhões)
  10. Floyd Mayweather (boxe): US$ 1,48 bilhão (R$ 7,36 bilhões)

Nos 15 anos em que jogou, Michael Jordan só foi o jogador mais bem pago da NBA em duas temporadas. Durante a carreira nas quadras, ele acumulou US$ 94 milhões (R$ 467 milhões na cotação atual). O astro ainda mantém patrocínios com parceiros de longa data, como Gatorade, 2K Games, Five Star Fragrances e Upper Deck. A Nike é o principal, com estimativa de pagamentos em torno de US$ 250 milhões (R$ 1,2 bilhão) por ano. Apenas Cristiano Ronaldo o supera, com faturamento de US$ 275 milhões (R$ 1,3 bilhão). Todos os 50 atletas que mais recebem são de nove diferentes esportes e de 17 países. Eles ganharam um total combinado de US$ 50 bilhões (R$ 248 bilhões) quando ajustado pela inflação.

Lista tem Neymar e apenas Serena Williams de mulher

Neymar é o único brasileiro com posição na lista. O jogador do Al-Hilal está em 16º, com fortuna avaliada em US$ 1,01 bilhão (R$ 5,02 bilhões). Na temporada, o camisa 10 pouco jogou. Quando iniciou-se o calendário, na metade de 2023, ele ainda estava em recuperação de uma lesão no tornozelo. Em outubro, já saudável, machucou o joelho, o que lhe obrigou a fazer uma cirurgia. Ele está fora até agosto deste ano.

A única mulher da lista é a ex-tenista Serena Williams. Aposentada em 2022, ela tem a fortuna avaliada em US$ 630 milhões (R$ 3,1 bilhões). No ano passado, a lista também tinha apenas ela de mulher, mas em 38ª. Serena venceu 23 Grand Slams e lidera o ranking de premiações entre tenistas mulheres, com US$ 95 milhões (R$ 472 milhões). Assim como Jordan, ela tem boa parte da fortuna oriunda de acordos comerciais. Os principais parceiros são Nike, AT&T, Beats, Ford Motor, Gatorade e Subway.

Publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.