PUBLICIDADE

Publicidade

5 coisas que aprendemos no GP da Emília-Romanha, 7ª etapa da Fórmula 1 2024

Max Verstappen vence com atuação espetacular, mas McLaren, em segundo com Lando Norris, deixa claro que está viva no campeonato

PUBLICIDADE

Por Gabriel Curty/GRANDE PRÊMIO

Max Verstappen segurou os ataques finais de Lando Norris e venceu o GP da Emília-Romanha. Só que a vitória do neerlandês neste domingo, dia 19, foi bem diferente das demais: a McLaren deixou claro que vai ter briga e estava mais forte que a Red Bull. Max levou no braço.

Norris completou em segundo, com Charles Leclerc fechando o pódio da Ferrari em uma das corridas de casa dos italianos. Oscar Piastri terminou em quarto, com mais uma McLaren na frente de uma Ferrari, já que Carlos Sainz foi quinto.

Max Verstappen vence o GP da Emilia-Romagna da temporada 2024 da Fórmula 1. Foto: Luca Bruno/AFP

Entre as Mercedes, estratégia confusa e George Russell em sétimo, atrás de Lewis Hamilton. Sergio Pérez, em jornada tenebrosa, foi oitavo, enquanto Lance Stroll e Yuki Tsunoda fecharam a zona de pontos.

Verstappen dá novo show para vencer na Emília-Romanha

Verstappen precisava estar absolutamente iluminado para vencer. E esteve. A verdade é que o neerlandês teve de lançar mão de sua melhor versão para cravar a pole e, depois, para triunfar. Isso porque a McLaren era visivelmente mais rápida nos dois dias, mas Max tinha um plano. A atuação deste domingo é daquelas para emoldurar e o retrato final se arrastando sem pneus, sem bateria e quase que sem carro prova o tanto que Verstappen tirou da Red Bull que, desta vez, não entregou grandes coisas.

Norris e McLaren perdem corrida, mas saem animados para campeonato

Sejamos honestos: a McLaren perdeu a batalha, mas ainda está longe de perder a guerra. Muito pelo contrário. A derrota em Ímola machuca, era uma chance viva, tudo bem, mas a sensação que dá é que o time simplesmente vai estar lá sempre agora. A evolução técnica é brutal e a atualização funcionou de novo, desta vez em uma pista totalmente diferente de Miami. Norris e a McLaren vão brigar e vão vencer mais, só precisam combinar com Verstappen.

Pódio de Leclerc não esconde leve desânimo da Ferrari

Não foi, de novo, um resultado terrível para a Ferrari, mas fica difícil esconder a frustração. Os italianos podem alegar que a atualização não foi colossal, tudo bem, mas é nítido que queriam algo mais que o pódio de Leclerc. Não rolou e, desta vez, não foi por mero detalhe: a McLaren era melhor e Verstappen é Verstappen. O carro é bom, o time é bom, os pilotos são bons, falta algo a mais.

Mercedes sobe de produção e tem ritmo minimamente decente

Ainda está bem longe de ser digna, mas a Mercedes deu sinal de vida. É uma resposta importante, afinal, o time atualizou o carro e precisava ver resultado. De novo: é pouco, os prateados precisam entregar mais, mas foi legal ver que Russell e Hamilton tiveram ritmo de parte da frente do pelotão em boa parte da corrida. E bateram Pérez, claro.

Publicidade

8º lugar liga alerta em Pérez: com Red Bull mais vulnerável, emprego dele também está

Se Verstappen fez um trabalho fabuloso para tirar muito mais da Red Bull do que a equipe tinha a entregar, Pérez foi na direção oposta. O mexicano ficou em oitavo com muita folga, nem disputou para valer as posições contra as capengas Mercedes. O ponto é que as rivais estão chegando — se é que não chegaram — e a Red Bull vai perdendo a vantagem. Aí o braço faz diferença. Para Verstappen, show de bola, mas e para Pérez? A vice-liderança do campeonato já não é mais dele, mas caso o oitavo lugar vire moda, certamente o emprego também não será mais.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.