PUBLICIDADE

Publicidade

Fórmula 1: cinco coisas que aprendemos na sexta-feira do GP em Ímola

Primeiros treinos livres apresentam uma Red Bull instável diante de fortíssimas Ferrari e McLaren

PUBLICIDADE

Por Gabriel Curty/GRANDE PRÊMIO
Atualização:

A sexta-feira de treinos livres do GP da Emília-Romagna apresentou uma ordem de forças bastante bagunçada. De um lado, uma Ferrari que liderou as duas sessões com Charles Leclerc sobrando no carro atualizado. Do outro, uma McLaren que cercou os italianos e apresentou excelente ritmo de corrida.

Mais atrás, a Mercedes, que pareceu ter evoluído sensivelmente com as atualizações e chegou a, inclusive, beliscar a Red Bull, especialmente no comparativo dos stints longos. Os austríacos se apresentaram perdidos, fora até do top-5 do TL2, que ainda teve um surpreendente Yuki Tsunoda em terceiro, atrás de Leclerc e Oscar Piastri e na frente de Lewis Hamilton e George Russell.

Charles Leclerc liderou os dois primeiros treinos livres do Grande Prêmio em Ímola. Foto: Luca Bruno/AP

Carlos Sainz foi sexto, seguido por Max Verstappen e Sergio Pérez. Nico Hülkenberg apareceu em nono com a Haas, com Fernando Alonso completando o top-10 com a Aston Martin. 12º, Lando Norris ficou sem a volta mais rápida por exceder os limites de pista.

Red Bull sofre e vê reação imediata muito distante

Para quem estava esperando que a Red Bull repetisse o pós das raras últimas derrotas, o começo do fim de semana foi de choque. Aquela expectativa de reação imediata parece bem improvável e a realidade que bate à porta é que os austríacos estão, no mínimo, no bolo com outros times. Para não dizer atrás. A Red Bull apareceu em quarto no ritmo de corrida, fora do top-5 no TL2 e com um Max Verstappen extremamente irritado. Pode virar o jogo ainda, claro, mas o massacre pós-derrota já não vai acontecer, não, mesmo com atualizações.

Ferrari fala alto com atualizações e vem para briga na Emília-Romagna

A Ferrari precisava responder depois da vitória da McLaren em Miami e, pelo menos no começo do fim de semana, vai dando conta. Leclerc liderou os dois treinos livres com autoridade e o ritmo de corrida também foi positivo, ainda que abaixo da rival laranja. Só que os italianos andaram na frente da Red Bull e parecem ter melhorado bem a performance em volta única. Fica difícil segurar os vermelhos assim.

McLaren reforça qualidade do carro novo e se impõe em ritmo de corrida

A McLaren não liderou o dia, mas olho bem aberto para ela, viu? Não é exagero dizer que os laranjas foram os vencedores do dia, afinal, o ritmo de corrida foi absurdo mesmo com pneus duros e, na simulação de volta rápida, excelência também. Piastri foi segundo e Norris vinha muito rápido até exceder os limites de pista. Ou seja, os problemas com pneus macios de Miami parecem bem resolvidos.

Mercedes chega a tirar casquinha da Red Bull: a gigante acordou?

É bem provável que não, mas foi um bom dia, sim, sejamos justos. Ritmo interessante em volta única, com os dois carros no top-5, consistência interessante também em stint longo. A Mercedes perde no comparativo com McLaren e Ferrari nos dois aspectos, mas surge com inesperada vantagem precoce frente à Red Bull. É muito possível que os prateados voltem ao quarto lugar, mas só de se enfiarem no bolo já podem sorrir com o sucesso do pacote de atualizações no carro tão problemático.

Publicidade

Bem-vindos ao evento anual ‘RB parece equipe grande na Emília-Romagna’

A equipe sediada em Faenza, cidade vizinha a Ímola, parece ter um caso de amor especial com a pista do GP da Emília-Romagna. A RB conhece como ninguém o traçado, tem dados quase que exclusivos nas mãos e sempre aproveita. A presença do circuito Enzo e Dino Ferrari no calendário é uma bênção para uma equipe que costuma se transformar nos finais de semana por lá. O início na edição 2024 foi uma beleza, com Tsunoda fortíssimo e metido no bolo dos primeiros colocados.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.