PUBLICIDADE

Publicidade

Fórmula 1 define título com direito a despedidas

Prova será a última de Felipe Massa e Jenson Button na categoria

PUBLICIDADE

Foto do author Redação
Por Redação
Atualização:

A última corrida da temporada 2016 da Fórmula 1, em Abu Dhabi, vai encerrar a carreira do brasileiro Felipe Massa na categoria e definir o título da temporada. A dupla da Mercedes, Lewis Hamilton e Nico Rosberg, definem quem será o campeão da última temporada antes da radical mudança de regulamento no ano que vem.

As alterações técnicas previstas na categoria devem deixar a disputa mais equilibrada, ao contrário do que foi nos últimos três categorias. A Mercedes dominou, ao ganhar 50 das últimas 58 provas realizadas desde 2014. O inglês Hamilton levou a melhor duas vezes e está em desvantagem neste ano diante do alemão, Rosberg.

Felipe Massa pode estar retornando à F-1 Foto: Reprodução/Twitter

PUBLICIDADE

O líder do campeonato tem 12 pontos de vantagem e a tranquilidade de precisar chegar entre os três primeiros para garantir o título inédito. Já Hamilton, tem que vencer e torcer para o concorrente ser no máximo o quarto. Se for o segundo, o alemão terá de ser o sétimo. Caso terminar em terceiro o adversário precisa ser o nono.

Longe da luta pelo título mundial, Massa, da Williams, faz a última corrida na categoria. “Quero tentar aproveitar o máximo possível. Mas a melhor sensação virá de um bom resultado na corrida”, disse o piloto.

Na última prova, em Interlagos, o brasileiro se emocionou bastante com o carinho da torcida e os aplausos de colegas e mecânicos de outras equipes. Massa estreou na Fórmula 1 em 2002, conquistou 11 vitórias e neste ano, tem como motivação final a improvável briga para levar a escuderia inglesa ao quarto lugar do campeonato de construtores. A Force India tem 27 pontos de vantagem.

Dupla da Mercedes disputou o título de 2016 'ponto a ponto' Foto: Diego Azubel/ EFE

Massa vai escolher entre três categorias para disputar no próximo ano. A Fórmula E, a DTM (competição alemã de carros de turismo) e o Mundial de Endurance são as opções. O piloto também planeja se dedicar projetos pessoais, como o de embaixador de marcas e trabalhos pontuais como comentarista para canais estrangeiros.

A despedida pode deixar a categoria sem representantes do País no próximo ano. Desde 1970 pelo menos um brasileiro alinha no grid. Felipe Nasr, atualmente na Sauber, depende de negociações para ter a vaga confirmada ou na equipe atual, ou talvez na Manor.

Publicidade

O encerramento da temporada mais longa da história, com 21 etapas, termina também a carreira do inglês Jenson Button. Campeão mundial em 2009, o piloto da McLaren deve migrar para outra categoria.

Outra “despedida” será a do atual regulamento técnico. Para 2017 os carros terão mudanças como pneus mais largos, maior velocidade e diferentes opções de escolha de pneus. A expectativa é a Mercedes ter o domínio reduzido. “Sou contra as mudanças. Não acho que sejam o melhor caminho”, disse o chefe da equipe, Toto Wolff.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.