PUBLICIDADE

Publicidade

Sobrinho de Ayrton Senna e mais pilotos guiam carros do tricampeão em Mônaco; veja homenagem

Modelos que marcaram conquistas do ídolo brasileiro, como a McLaren MP4/5B de 1990, desfilaram em Monte Carlo

PUBLICIDADE

Foto do author Róbson Martins
Atualização:

Mônaco recebeu na manhã deste sábado, 11, um evento especial para os fãs de Fórmula 1 e, sobretudo, de Ayrton Senna. Com a presença de pilotos como Bruno Senna (sobrinho de Ayrton), o traçado de Monte Carlo foi o palco de um desfile em homenagem ao tricampeão mundial. Ele é o maior campeão do GP disputado no principado, com seis vitórias (1987, 1989, 1990, 1991, 1992 e 1993).

Organizada pelo Automobile Club de Monaco (ACM), em colaboração com o Instituto Ayrton Senna, a Lotus e a McLaren, a parada fez parte da programação da 14ª edição do Grande Prêmio Histórico de Mônaco. A celebração, que acontece a cada dois anos, reuniu cinco carros lendários da carreira de Senna, dois deles tendo sido pilotados por brasileiros.

Bruno Senna na McLaren MP4/5B de Ayrton. Foto: X/McLaren

PUBLICIDADE

Bruno Senna foi quem assumiu o volante da icônica McLaren MP4/5B, com a qual o tio se sagrou bicampeão mundial de F-1, em 1990. Já o jovem Gabriel Bortoleto, de 19 anos, campeão da Fórmula 3 no ano passado, foi convidado para pilotar o kart de Senna no título do Campeonato Brasileiro da categoria e do vice do Sul-Americano da modalidade em 1977.

Outros carros marcantes da trajetória vitoriosa de Senna participaram do desfile. Foram eles: o Van Diemen RF82 (Fórmula Ford 2000 em 1982), pilotado pela espanhola Cristina Gutiérrez, o Ralt RT3 (Fórmula 3 em 1983), pelo norte-irlandês Eddie Irvine, e o Lotus 97T (GPs de Portugal e Bélgica de 1985), por Thierry Boutsen, da Bélgica.

Companheiro de Senna em 1984, o sueco Stefan Johansson ainda entraria na pista com o Toleman TG184, mas o carro não apareceu na pista como planejado. O modelo foi o primeiro do brasileiro na principal categoria do automobilismo e também conduzido por Pierre Gasly, piloto da Alpine, em tributo nesta semana.

Homenagem no GP de Emilia-Romagna

Por sinal, Gasly correrá no GP da Emilia-Romagna, em Ímola (ITA), onde Senna morreu há 30 anos, com uma réplica do capacete usado pelo ídolo em seu ano de estreia da Fórmula 1. O item será leiloado após a prova e o valor arrecadado doado ao Instituto Ayrton Senna, que atua em projetos educacionais para crianças e jovens.

“Vou prestar homenagem a um dos melhores pilotos de Fórmula 1 de todos os tempos em Ímola, um dos meus ídolos. Vou usar um capacete especial com design de Senna para lembrar o legado de Ayrton”, escreveu o piloto francês no Instagram.

Publicidade

Ele completou: “Foi uma experiência incrível e uma sensação única estar sentado em seu carro com este capacete especial. Foi uma sensação tão única sentir um pouco do que era antigamente, apenas um homem e sua máquina. Um sentimento e um dia que não vou esquecer. Obrigado a todas as pessoas que tornaram isso possível”.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.