PUBLICIDADE

Publicidade

Verstappen quebra recorde de vitórias seguidas na F-1 no GP de Monza e ganha beijo de Kelly Piquet

Holandês chega a dez triunfos consecutivos com primeiro lugar na Itália neste domingo sob os olhares da namorada; marca supera a de Sebastian Vettel de 2013

Foto do author Redação
Por Redação
Atualização:

Não tem jeito, a Fórmula 1 é monopolizada por Max Verstappen. Neste domingo, dia 3, o atual bicampeão consecutivo, rumo ao terceiro título, ganhou o GP da Itália e não só se isolou ainda mais na liderança da disputa como quebrou o recorde de vitórias seguidas no mesmo ano, com dez. A marca anterior era de Sebastian Vettel, que chegou a nove na edição de 2013. Ela passa agora para as mãos do holandês, que conquistou a torcida de seu país e também o coração da brasileira Kelly Piquet, filha do tricampeão Nelson Piquet e presente nas corridas de Max.

PUBLICIDADE

Foi dela o primeiro beijo no vencedor, ainda de capacete depois de abraças os colegas da escuderia. Kelly ‘faz parte do time’. Ela aplaudiu o namorado. Max tem carinho especial pela neta do sogro Nelson Piquet.

O título e a festa da famosa família do automobilismo ainda não estão garantidos, mas é quase impossível que Verstappen, agora com 364 pontos, seja ultrapassado pelo vice-líder Sergio Pérez, seu companheiro de Red Bull, que tem 219. O mexicano, inclusive, fez com que a equipe cravasse a dobradinha na corrida, garantindo o segundo lugar. Carlos Sainz, representante da Ferrari “em casa”, fechou o pódio. Restam oito provas para acabar o Mundial.

Max Verstappen desbancou as Ferraris, donas da casa, e ganhou o GP da Itália de Fórmula 1 deste domingo; holandês chegou a dez vitórias consecutivas. Foto: Luca Bruno/AP Photo

O primeiro lugar no GP da Itália também aproxima Verstappen de entrar no top 3 de pilotos com mais vitórias na história da categoria. Esse ranking é dominado por Lewis Hamilton, com 103, e Michael Schumacher, que tem 91. Vettel, com 53, e Alain Prost, com 51, são, respectivamente, terceiro e quarto colocados na lista e podem ser alcançados por Max ainda em 2023. Para que o holandês entre no pódio, precisa ganhar seis das oito corridas restantes - ou sete, para desempatar com o alemão.

A disputa também está monopolizada no Mundial de Construtores. A Red Bull venceu todas as provas no ano e tem mais de 300 pontos de vantagem sobre a Mercedes, segunda colocada (583 contra 273), de Lewis Hamilton. O terceiro lugar de Sainz e o quarto de Charles Leclerc deram novo fôlego para a Ferrari na briga pelo vice-campeonato: a escuderia saltou para 228 pontos e ultrapassou a Aston Martin, que tem 217. Agora, busca o segundo posto da rival alemã com quem já disputou títulos outrora, mas que no presente não consegue alcançar a Red Bull.

O próximo compromisso da Fórmula 1 será em 17 de setembro, no GP de Cingapura. A pista é historicamente favorável à equipe de Verstappen, que sempre se sobressaiu na aerodinâmica do traçado. Tudo aponta para novo domínio do campeão e a proximidade de mais recordes.

Max dribla companheiros de Red Bull para ganhar um beijo na namorada Kelly Piquet em Monza Foto: Christian Bruna / EFE

Confira o resultado do GP da Itália de Fórmula 1

  1. Max Verstappen (HOL/Red Bull)
  2. Sergio Pérez (MEX/Red Bull)
  3. Carlos Sainz Jr. (ESP/Ferrari)
  4. Charles Leclerc (MON/Ferrari)
  5. George Russell (ING/Mercedes)
  6. Lewis Hamilton (ING/Mercedes)
  7. Alexander Albon (TAI/Williams)
  8. Lando Norris (ING/McLaren)
  9. Fernando Alonso (ESP/Aston Martin)
  10. Valtteri Bottas (FIN/Alfa Romeo)
  11. Liam Lawson (NZL/AlphaTauri)
  12. Oscar Piastri (AUS/McLaren)
  13. Logan Sargeant (EUA/Williams)
  14. Zhou Guanyu (CHN/Alfa Romeo)
  15. Pierre Gasly (FRA/Alpine)
  16. Lance Stroll (CAN/Aston Martin)
  17. Nico Hulkenberg (ALE/Haas)
  18. Kevin Magnussen (DIN/Haas)

Publicidade

Não completaram:

Esteban Ocon (FRA/Alpine)

Yuki Tsunoda (JAP/AlphaTauri)

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.