PUBLICIDADE

Alexandre de Moraes não admitiu fraude nas eleições 2022; vídeo viral é sobre cota de gênero

Trecho compartilhado em postagens no TikTok e no Instagram é de julgamento do TSE de 2020

Por Giovana Frioli
Atualização:

O que estão compartilhando: que o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes admitiu que “houve fraude” nas eleições de 2022

O Estadão Verifica investigou e concluiu que: é enganoso. O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Alexandre de Moraes, não confessou que “houve fraude” nas eleições de 2022. Postagens no TikTok e no Instagram tiram de contexto fala em que Moraes debate com o ministro Raul Araújo no julgamento sobre fraude na cota de gênero nas eleições de 2020. O conteúdo não é recente e não se refere ao pleito do ano passado.

Vídeo retira de contexto fala de Moraes para sugerir que ministro confessou que houve fraude nas eleições. Foto: Arte/Estadão Verifica

PUBLICIDADE

Saiba mais: As postagens usam o vídeo de uma sessão plenária do TSE, que ocorreu em 23 de maio de 2020, para distorcer uma alegação de Alexandre de Moraes. Ao contrário do que diz o post enganoso, o ministro afirmou “eu entendo que houve fraude” durante a sessão que debatia o descumprimento da cota de gênero pelo PTB.

O TSE julgou dois processos que acusavam o partido de ter lançado duas candidaturas fictícias para cumprir a cota feminina nas eleições de Roteiro (AL) – a lei determina que 30% das candidaturas de uma legenda devem ser de mulheres.

Na fala completa, é evidente que Moraes se referia à cota feminina e não ao resultado das eleições do ano passado. O vídeo original foi transmitido pela TV Justiça no YouTube e a discussão pode ser vista a partir dos 59 minutos.

No trecho destacado pela mulher que comenta a gravação, os ministros apresentaram posicionamentos divergentes sobre o caso. Raul Araújo votou pelo não reconhecimento da prática por julgar que apenas uma das candidaturas era fictícia e que, por isso, o partido havia cumprido a cota de gênero. Já o presidente do TSE considerou que as duas mulheres eram candidatas-laranja, portanto integraram a lista do partido somente para tentar burlar a lei.

Por 4 votos a 3, a Corte decidiu que houve a irregularidade e determinou a nulidade dos votos recebidos pelo PTB no município e a cassação dos diplomas dos candidatos vinculados.

Publicidade

A Justiça Eleitoral publicou um comunicado sobre o mesmo vídeo, em que afirma que o material é falso.

O Estadão Verifica entrou em contato com o responsável pela publicação, que não respondeu.

Como lidar com postagens do tipo: O resultado das eleições e a segurança das urnas eletrônicas ainda são alvo de desinformação nas redes sociais. Não há indícios ou provas que sustentem alegações sobre irregularidades no pleito eleitoral e, por isso, é necessário estar atento às publicações que fazem afirmações como estas. Veja todas as checagens feitas sobre urnas pelo Estadão Verifica.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.