PUBLICIDADE

Alemanha proibirá entrada de viajantes do Brasil devido às novas cepas do coronavírus

Medida também inclui pessoas procedentes do Reino Unido, Portugal e África do Sul

Por Reuters
Atualização:

BRUXELAS — A Alemanha está preparando proibições de entrada para viajantes do Brasil, Reino Unido, Portugal e África do Sul para limitar a propagação das variantes mais contagiosas do coronavírus que atingem esses países, disse o ministro do Interior, Horst Seehofer, nessa quinta-feira, 28.

"Para proteger nossa população, não deve haver entrada de regiões onde essas variantes do vírus são galopantes", explicou durante uma reunião virtual com seus colegas da União Europeia.

O ministro do Interior alemão, Horst Seehofer (E), conversa com o ministro da Saúde,Jens Spahn (D). Foto: Bernd von Jutrczenka/DPA via AP

PUBLICIDADE

Nesta semana, Portugal, Peru e Colômbia anunciaram a suspensão de todos os voos comerciais ou privados de e para o Brasil. As medidas dos governos português e peruano valem até 14 de fevereiro, com a restrição de Lisboa entrando em vigor nesta sexta-feira e a de Lima no domingo. A de Bogotá teve efeito imediato, com duração de 30 dias.

A Bélgica já proibiu os residentes de tirar férias no exterior até março para combater a propagação das variantes mais infecciosas do vírus, mas outros membros da UE rejeitam medidas radicais, como proibições de entrada ou viagens.

Seehofer afirmou que a Alemanha seguirá em frente com seus planos mesmo que a UE como um todo não concorde com tais medidas.

"Não podemos esperar uma solução europeia que atenda às nossas expectativas tão cedo, por isso estamos preparando medidas nacionais", ele disse.

O transporte de mercadorias e suprimentos médicos não será afetado pelas restrições que estão em discussão em Berlim, de acordo com Seehofer.

Publicidade

Enquanto isso, a União Europeia cortou o Japão de sua lista de países de onde os viajantes podem visitar o bloco sem restrições relacionadas à covid-19, como quarentenas ou testes obrigatórios. Após as mudanças, a lista será composta por apenas sete países: Austrália, China, Nova Zelândia, Ruanda, Cingapura, Coreia do Sul e Tailândia.

Apesar de a China estar na lista, viagens de lá só serão permitidas se as autoridades chinesas também permitirem a entrada de visitantes da UE. O requisito de reciprocidade não se aplica no caso dos outros países listados.

A lista também serve apenas como uma recomendação sobre regras de viagem. Cada país da UE pode definir suas próprias regras. Portugal, por exemplo, anunciou nessa quinta-feira que vai limitar as viagens de seus cidadãos ao exterior por quinze dias, a partir de domingo, devido à explosão de casos de coronavírus no país, que levou à renovação do estado de emergência sanitária.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.