Vídeo mostra obras de cidade árabe planejada para ter robôs, táxis voadores e fazendas verticais

Região planejada para ter foco em sustentabilidade engloba a ‘The Line’, cidade composta por duas estruturas paralelas de 500 metros de altura que formarão linha de 170 km

PUBLICIDADE

Foto do author Redação
Por Redação
Atualização:

A Arábia Saudita está, desde 2022, preparando um projeto que chama de “megacidade futurista”: Neom, uma metrópole que se estenderá por 170 km e abrigará dois arranha-céus espelhados. Na semana passada, os organizadores do projeto divulgaram um vídeo que mostra como planejam que seja “A Linha”, os dois arranha-céus terão 500 metros de altura e formarão o centro da cidade.

Segundo a organização, a cidade Neom será autossustentável e com emissão zero de carbono, com fazendas verticais, táxis voadores e robôs domésticos. Arquitetos e economistas já questionaram a viabilidade do projeto, que também causou ceticismo em relação à questão ambiental.

O que é o projeto Neom

PUBLICIDADE

A Neom é parte do projeto Vision 2030 do príncipe herdeiro saudita, Mohammed Bin Salman, de modernização e diversificação da economia do país, atualmente muito dependente da exportação de petróleo. O projeto também busca superar por meio da modernidade a imagem de autoritarismo e violação de direitos humanos que o reino sustenta.

Mohammed Bin Salman estabeleceu o limite em 1,2 milhão de habitantes em 2030 em Neom e de 9 milhões em 2045, apostando em um boom demográfico necessário, segundo ele, para tornar a Arábia Saudita uma potência econômica capaz de competir em todos os setores. Com a região, o reino espera atrair mais estrangeiros para morar na Arábia Saudita.

'The Line' será cidade futurista composta por estruturas de 500 metros de altura.  Foto: Neom via neom.com

O custo da primeira fase do empreendimento, que vai até 2030, já foi estimado em torno de R$ 1,7 trilhão. Além dos subsídios do governo, espera-se que o financiamento venha do setor privado e também de uma oferta pública inicial da Neom, prevista para 2024.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.