Bush deixará 2 mil soldados dos EUA sob comando de Blair

PUBLICIDADE

Por Agencia Estado
Atualização:

O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, recompensará a lealdade de seu máximo aliado, o primeiro-ministro da Grã-Bretanha, Tony Blair, colocando milhares de soldados americanos sob o comando de oficiais britânicos em uma eventual guerra contra o Iraque, informou o jornal londrino The Guardian em sua edição de segunda-feira. De acordo com o diário, cerca de 2.000 fuzileiros navais americanos ficarão sob o comando de militares britânicos numa eventual tomada do povoado iraquiano de Basra, no sul do país árabe. Segundo o The Guardian, a decisão foi classificada como de caráter "simbólico" e uma forma de reforçar a gratidão do presidente americano para com seu principal aliado na crise iraquiana. O Ministério da Defesa britânico se recusou a comentar o artigo. Por sua parte, o porta-voz para assuntos internacionais do Partido Liberal, Menzies Campbell, conhecido por seus importantes contatos diplomáticos com Washington, considerou a decisão de Bush "muito simbólica". "Trata-se de uma decisão com muito significado político os Estados Unidos deixarem um grande número de soldados americanos sob o comando de oficiais britânicos", afirmou. Também hoje, o ministro da Defesa Geoff Hoon confirmou a chegada na Grã-Bretanha do primeiro dos 14 bombardeiros B-52 americanos previstos. Os aviões aterrissarão na base da Força Aérea Real de Fairford, no oeste da Inglaterra. Segundo Hoon, no entanto, isso não representa que uma decisão de ataque já tenha sido tomada.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.