PUBLICIDADE

‘The Office da vida real’: Michael quis doar US$ 150 para caridade, mas deu US$ 15 mil por engano

Doação foi feita para a Bangladesh Relief, organização que ajuda pessoas pobres no norte de Bangladesh, que fez um vídeo agradecendo profusamente sua substancial doação

Por Sydney Page

Um californiano e sua mulher tinham se mudado recentemente para um novo apartamento em San Francisco, quando ele conheceu um vizinho que é sacerdote hinduísta. O religioso, Jeff Dunan, de 77 anos, falou-lhe a respeito de uma organização de caridade que ele trabalha como voluntário, a Bangladesh Relief — que fornece comida, roupa e itens essenciais para pessoas pobres no norte de Bangladesh.

PUBLICIDADE

O homem decidiu fazer uma doação para a campanha de Dunan no website GoFundMe — e pensou em doar US$ 150 (R$ 735), considerando que era a quantia correta. “Achei que era uma boa causa e uma ação prestativa”, disse Michael, de 31 anos, que pediu para ser identificado somente por seu primeiro nome para preservar sua privacidade, afirmando que prefere chamar atenção para a causa, em vez de si mesmo.

Mas pouco após fazer sua doação no GoFundMe, em fevereiro de 2022, Michael recebeu uma notificação de sua empresa de cartão de crédito alertando-o a respeito de uma transação alta, que levantou suspeita. A mensagem de texto o alertava sobre uma cobrança de US$ 15.041 (R$ 73.657) do GoFundMe.

Pessoas em Bangladesh agradecem a usuários do Reddit que doaram para o GoFundMe da Bangladesh Relief Foto: Bangladesh Relief via W.Post

Quando ele compartilhou a história na internet, pessoas observaram paralelos entre o erro de Michael e o episódio “Scott’s Tots” da série “The Office”, no qual o personagem Michael Scott não consegue manter sua promessa de pagar as mensalidades da faculdade de uma classe inteira de estudantes, feita quando os alunos estavam na 3.ª série.

“Definitivamente é uma coincidência muito engraçada que ambos sejamos Michael”, afirmou Michael, acrescentando que estava se “divertindo um monte lendo os comentários” e não conseguia parar de atualizar a página GoFundMe para acompanhar o total das doações aumentando.

“Fiz simplesmente uma confusão total na digitação”, afirmou Michael em entrevista ao Washington Post, assumindo o próprio erro. “Eu fiquei perplexo”, disse ele, relatando o momento em que viu o valor de cinco dígitos no comprovante de gasto.

Logo tudo fez sentido. O número do cartão de crédito de Michael começa com 4 e 1. Ele acha que começou a digitar acidentalmente os dados de seu cartão enquanto o cursor ainda estava na caixa do valor da doação.

Publicidade

Michael ligou para a central de atendimento do GoFundMe em pânico e explicou sua doação equivocada. E ficou aliviado ao ouvir que seria ressarcido pelo contratempo em até sete dias úteis.

‘Obrigado Michael’

Mas havia uma complicação maior: a doação de US$ 15 mil — que dobrou a quantia total levantada anteriormente — apareceria na página do GoFundMe até que o ressarcimento fosse processado. “Fiquei tipo, ‘Ih, não, isso é problema’”, recordou-se Michael, acrescentando que planejava ligar para Dunan e explicar o que havia ocorrido.

Shohag Chandra, diretor de programa da Bangladesh Relief Foto: Bangladesh Relief via W.Post

Mas antes de ter chance de fazer isso, Michael começou a receber notificações do Facebook e mensagens de Shohag Chandra, o diretor do programa em Bangladesh, agradecendo-lhe profusamente sua substancial doação.

“O cara me mandou um vídeo com ele falando em Bangladesh, cercado de dúzias de pessoas pobres e famintas segurando sacolas de comida e agradecendo-me DIZENDO MEU NOME”, escreveu Michael em um post sobre o caso publicado no Reddit um mês atrás, documentando o que aconteceu. “Eu começo a ler as mensagens do sujeito e vejo foto atrás de foto de gente pobre de Bangladesh me agradecendo por minha gentil doação.”

PUBLICIDADE

Dunan e seus colegas em Bangladesh ficaram estarrecidos com a doação tão generosa — muito maior do que qualquer outra que eles tinham obtido no passado. “Nós ficamos pasmos”, disse Dunan, que se envolveu com a ONG três anos atrás.

Olhar para as fotos das pessoas com cartazes de agradecimento com seu nome escrito derreteu o coração de Michael. Ele se sentiu péssimo por ter revogado sua farta doação e, além de ainda pretender contribuir com os US$ 150 que havia planejado originalmente, ele quis doar mais. “Eu fiquei muito mal com o erro que cometi”, afirmou Michael. “Isso definitivamente me estressou bastante.”

Pessoas de Bangladesh agradecendo a Michael por sua doação equivocada de US$ 15.000 (R$ 73,6 mil)  Foto: Bangladesh Relief via W.Post

Quando sua doação original foi ressarcida, Michael decidiu doar U$ 1,5 mil (R$ 7,3 mil).

Publicidade

Dunan foi compreensivo a respeito do acidente e mostrou-se grato pela doação ainda considerável de Michael — que, lhe disse o sacerdote, surtiria um impacto significativo. “Qualquer doação, de qualquer quantia, vai longe”, afirmou Dunan.

Os diretores da ONG em Bangladesh também ficaram agradecidos pela doação revisada de Michael. “Para nós isso é muito”, afirmou Chandra, explicando que a entidade dá apoio a “milhões de pessoas em condições de miséria em Bangladesh”, onde mais de 20% da população vive abaixo da linha da pobreza estabelecida no país.

Repercussão

Apesar de ter contado à família e aos amigos a história do erro de digitação nos meses que se seguiram à confusão, Michael decidiu compartilhar sua saga publicamente no Reddit depois de Dunan dizer-lhe, recentemente, que a entidade estava precisando desesperadamente de recursos.

“O mínimo que eu podia fazer era dedicar um tempo para postar online essa história e ver se conseguia inspirar outras pessoas a doar para essa causa”, afirmou Michael. Mas ele não imaginava que seu post repercutiria tanto ao ponto de, em poucas semanas levantar US$ 120 mil (R$ 588 mil) para a Bangladesh Relief — cerca de oito vezes o que ele doou equivocadamente.

Pessoas do norte de Bangladesh recebendo comida da organização Bangladesh Relief Foto: Bangladesh Relief via W.Post

O post de Michael ganhou impulso no Reddit e outras plataformas e redes sociais — incluindo o YouTube, onde o popular canal Smosh Pit publicou um vídeo sobre a história. E as doações para uma nova campanha no GoFundMe começaram a aparecer. De acordo com Dunan, mais de 3,7 mil pessoas contribuíram em razão do post de Michael.

“Nós estamos impressionados que haja tanta gente com coração para doar o que pode”, afirmou Dunan. “Nós tivemos uma onda de apoio que superou tudo o que já tínhamos tentado.”

Quando fizeram as doações, as pessoas deixaram comentários bem humorados, como: “todos nós estamos aqui para compensar o erro de Michael”.

Publicidade

“Nós adoramos que a história de Michael tenha inspirado outras pessoas a apoiar essa entidade e multiplicar sua generosidade”, afirmou a diretora sênior de relações públicas do GoFundMe, Sarah Peck.

Agora, a Bangladesh Relief planeja expandir seus préstimos para além de ajuda alimentar e fornecimento de roupas e itens básicos incluindo medicamentos para os necessitados. Os fundos também serão destinados a apoiar órfãos no país.

“Por causa das doações propiciadas por Michael nossos programas ficaram em boa condição”, afirmou Chandra, explicando que a ONG em que ele trabalha já está colhendo os benefícios de mais financiamento. “Nós somos muito agradecidos, evidentemente.”

Crianças fazem fila para receber comida em Bangladesh Foto: Bangladesh Relief via W.Post

“Nós lhes agradecemos imensamente. Isso é inesquecível”, afirmou Chandra, dirigindo-se às pessoas que doaram na campanha.

Michael disse que está impressionado com a atual onda de doações. “Jamais, nem nos meus sonhos mais doidos, eu imaginei uma reação dessa”, afirmou ele. “As pessoas podem ser maravilhosas quando se juntam por algo assim.” / TRADUÇÃO DE GUILHERME RUSSO

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.