Elizabeth II pede entendimento entre jovens e mais velhos

PUBLICIDADE

Por Agencia Estado
Atualização:

A rainha da Inglaterra Elizabeth II pediu nesta segunda-feira, em sua tradicional mensagem de Natal, mais entendimento entre os jovens e os mais velhos para evitar as divisões que a vida moderna parece impor. "As pressões da vida moderna às vezes parecem enfraquecer os vínculos que tradicionalmente nos mantiveram unidos em famílias e comunidades", afirmou a rainha, em mensagem retransmitida por rádio, televisão e internet. Segundo a monarca, de 80 anos, "à medida que as crianças crescem e desenvolvem seu próprio senso de confiança e independência no mundo tecnológico em transformação, existe sempre o perigo de surgir uma divisão entre jovens e mais velhos, baseada na falta de familiaridade, na ignorância e na má-interpretação". Com uma árvore de Natal ao fundo, Elizabeth II ressaltou que "Cristo pediu a seus discípulos que permitissem que as crianças se aproximassem dele. E São Paulo lembrou aos pais que deviam ser amáveis com seus filhos, e os filhos, amáveis com seus pais". A rainha, vestida com uma roupa verde, deu mais tarde um tom ecumênico ao mesmo assunto. "A sabedoria e a experiência das grandes religiões fala da necessidade de criar e guiar os jovens, e de estimulá-los a respeitar os idosos", disse Elizateh II, cuja mensagem foi acompanhada, pela primeira vez, de imagens de muçulmanos rezando em uma mesquita. Como exemplo dessa vontade de unir as gerações, a mensagem da rainha também foi divulgada em formato "podcast" (programas de áudio que podiam ser baixados em computadores ou aparelhos portáteis a partir da internet). Elizabeth II, que assistiu nesta segunda-feira com sua família à tradicional missa natalina celebrada todos os anos na igreja do sítio real de Sandringham (sudeste da Inglaterra), já enviou - este domingo, por rádio - uma mensagem natalina às Forças Armadas do Reino Unido. A rainha elogiou a coragem das tropas britânicas destacadas no Iraque e no Afeganistão ao reconhecer o "grande risco pessoal" enfrentado pelos militares mobilizados nesses países.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.