Membro da Força Aérea dos EUA ateia fogo em si mesmo em frente à embaixada de Israel

Homem transmitia ao vivo seu protesto na plataforma Twitch; antes de iniciar o fogo, ele declarou que não seria ‘mais cúmplice do genocídio’

PUBLICIDADE

Foto do author Redação
Por Redação

Um membro da Força Aérea dos Estados Unidos ateou fogo no próprio corpo em frente à Embaixada de Israel em Washington no domingo, 25, em um protesto contra a guerra em Gaza transmitido ao vivo em uma rede social. Ele foi levado ao hospital com ferimentos graves e está em estado crítico, de acordo com autoridades.

O homem, cujo nome não foi divulgado, caminhou até a embaixada pouco antes das 13h, usando farda militar, e começou a transmitir ao vivo na plataforma de streaming de vídeo Twitch. Em dado momento do vídeo, ele disse que “não será mais cúmplice do genocídio”, antes de jogar um líquido no corpo. Em seguida, ele ateou fogo ao corpo, enquanto gritava “Palestina Livre!”, antes de cair no chão.

PUBLICIDADE

Os bombeiros, que chegaram quando agentes do Serviço Secreto já havia apagado o fogo, informaram que o homem foi levado para o hospital com “ferimentos graves e potencialmente fatais”. Enquanto o homem estava sendo encaminhado, uma equipe de inspeção de explosivos foi mobilizada para examinar um carro suspeito, que acabou não representando nenhuma ameaça.

A Força Aérea confirmou que um membro de sua corporação estava envolvido no incidente, sem fornecer mais detalhes. Uma fonte da embaixada israelense afirmou que nenhum funcionário ficou ferido no incidente e que o homem era “desconhecido” para eles.

Polícia isolou rua em frente à Embaixada de Israel em Washington após um membro ativo da Força Aérea dos EUA atear fogo em si mesmo. Foto: WJLA via AP

Em dezembro, uma pessoa se autoimolou fora do consulado israelense em Atlanta e usou gasolina como acelerador, segundo os bombeiros de Atlanta. Uma bandeira palestina foi encontrada no local e o ato foi considerado de “extremo protesto político”./AFP e EFE.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.