PUBLICIDADE

Líderes do Irã alertam Israel para não retaliar ataque de sábado

Tel-Aviv prometeu que vai responder aos ataques iranianos que ocorreram no sábado

Foto do author Redação
Por Redação

TEERÃ -O presidente do Irã, Ebrahim Raisi, afirmou que seu país responderá de forma severa à menor ação de Israel, segundo um comunicado divulgado nesta terça-feira, 16, por seu gabinete.

PUBLICIDADE

Israel prometeu retaliar o país persa após o Irã atacar o território israelense com mais de 300 drones e mísseis no sábado,13. O presidente do Irã explicou que seu país mirou os ataques contra os “centros” utilizados para organizar o bombardeio do dia 1 de abril, atribuído a Israel, contra o consulado iraniano em Damasco. O ataque matou sete membros da Guarda Revolucionária, incluindo um general responsável pelas operações no Líbano e na Síria da unidade de elite Quds, Mohamad Reza Zahedi.

“Nós declaramos de maneira firme que a menor ação contra os interesses do Irã vai, certamente, provocar uma resposta severa, extensa e dolorosa contra todos os seus autores”, disse Raisi durante uma conversa por telefone com o emir do Catar, Tamim ben Hamad Al-Thani, na segunda-feira, 15.

Mulher iraniana passa por cartaz que expõe a capacidade militar do Irã em Teerã  Foto: Abedin Taherkenareh/EFE

Ao comentar o ataque do fim de semana, o primeiro realizado pelo Irã diretamente de seu território contra Israel, Raisi disse que Teerã exerceu o “direito à autodefesa”.

Raisi afirmou que a operação foi “executada com sucesso, com o objetivo de punir o agressor”. Um porta-voz das forças armadas do Irã alertou os EUA, o Reino Unido, a França e a Alemanha para pararem de apoiar Israel, e disse que haverá uma resposta ainda mais forte do Irã se Israel retaliar os ataques do fim de semana.

O presidente iraniano denunciou mais uma vez o que chamou de “apoio cego de certos países ocidentais ao regime sionista”, o que segundo ele é “uma causa de tensão na região”, destaca o comunicado.

O chanceler do Irã, Hossein Amirabdollahian, participa da inauguração do novo consulado iraniano em Damasco, Síria  Foto: Omar Sanadiki/AP

O Exército israelense afirmou que o ataque foi “frustrado”, depois que 99% dos 350 drones, mísseis balísticos e mísseis de cruzeiro foram derrubados, com a ajuda dos Estados Unidos, Jordânia, França e outros países.

Publicidade

Segundo o porta-voz das Forças Armadas de Israel, os poucos projéteis que seguiram a trajetória “atingiram levemente” a base aérea de Nevatim, no sul do país, que permaneceu operacional.

Instalações nucleares

O Irã suspendeu as operações em suas instalações nucleares no dia do ataque contra Israel, afirmou na segunda-feira o diretor da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), Rafael Grossi.

Grossi foi questionado sobre a possibilidade de um ataque de retaliação israelense contra instalações nucleares iranianas. “Estamos sempre preocupados com esta possibilidade”, respondeu.

“O que posso dizer é que os nossos inspetores no Irã foram informados pelo governo iraniano que, ontem (domingo), todas as instalações nucleares que inspecionamos diariamente permaneceram fechadas por razões de segurança”, acrescentou o diplomata.

O fechamento “não teve nenhuma consequência em nossas atividades de inspeção. Mas, certamente, continuamos pedindo máxima moderação”, acrescentou./com AFP

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.