PUBLICIDADE

Níger proíbe manifestações após golpe de estado

Várias pessoas ficaram feridas nesta quinta-feira, 27, em Niamey, durante uma violenta manifestação

Foto do author Redação
Por Redação

O Ministério do Interior do Níger informou nesta quinta-feira que estão proibidas todas as manifestações públicas e advertiu que aplicará “todas as medidas legais” contra os infratores, depois de uma violenta manifestação pró-golpe ter deixado vários feridos nesta manhã na capital do país, Niamey.

PUBLICIDADE

O anúncio foi feito através da emissora de televisão pública “ORTN” com a leitura de um comunicado assinado pelo secretário-geral do Ministério do Interior, Seydou Halidou, no qual o chefe do departamento disse ter recebido “com amargura” estes acontecimentos, os quais qualificou como “vandalismo e atos maliciosos”.

“As forças policiais e de segurança têm instruções firmes para garantir a segurança das pessoas e dos seus bens por todos os meios legais”, frisou a nota, acrescentando que as tropas nigerinas irão deter qualquer indivíduo que pratique atos de vandalismo.

Com a sede do partido governista em chamas ao fundo, apoiadores de soldados amotinados se manifestam em Niamey, Níger, na quinta-feira, 27 de julho de 2023. Foto: Fatahoulaye Hassane Midou / AP

Várias pessoas ficaram feridas nesta quinta-feira, 27, em Niamey, durante uma violenta manifestação pró-golpe, durante a qual manifestantes invadiram a sede do partido do presidente e incendiaram cerca de 20 veículos.

O Níger sofreu ontem um golpe de Estado liderado por uma junta militar, autodenominada Conselho Nacional para a Salvaguarda da Pátria (CLSP), que anunciou a destituição do presidente Mohamed Bazoum, a suspensão de instituições, o fechamentos das fronteiras e um toque de recolher noturno até novo aviso.

O golpe foi amplamente condenado pela comunidade internacional. /EFE

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.