Quem é Santiago Caputo, o ‘arquiteto da vitória’ de Javier Milei na Argentina

Conhecido por ter um perfil reservado, o consultor político de 38 anos foi fundamental para catapultar a figura de Milei e fez as aproximações entre o libertário e Mauricio Macri

PUBLICIDADE

Foto do author Carolina Marins
Por Carolina Marins
Atualização:

ENVIADA ESPECIAL A BUENOS AIRES - Em seu discurso de vitória no último domingo, 19, o presidente eleito Javier Milei fez questão de agradecer um membro pouco conhecido de sua campanha, mas peça-chave da vitória. “Quero agradecer a esse gigante que me acompanhou durante todo esse processo. Ele é um gigante que normalmente fica no escuro e seu nome é Santiago Caputo e ele é o verdadeiro arquiteto disso”.

PUBLICIDADE

Santiago Caputo, 38, já havia sido homenageado semanas antes, durante o fechamento de campanha do libertário no Movistar Arena ainda no primeiro turno das eleições argentinas. Mas foi uma homenagem anônima, sem citá-lo diretamente. Dessa vez, porém, fez questão de nomeá-lo.

Segundo o próprio Milei, o assessor político e seu amigo pessoal é uma pessoa tímida, por isso não aparece em fotos de campanha e não dá entrevistas à imprensa. Mas foi ele quem desenhou toda a comunicação de campanha de Javier Milei. Comunicação que o deixou 11 pontos à frente de seu adversário, Sergio Massa, em uma vitória histórica em cima do peronismo.

Javier Milei em seu discurso de vitória, quando agradeceu à sua irmã, Karina Milei, seu assessor Santiago Caputo e sua vice, Victoria Villarruel Foto: LUIS ROBAYO

Estudando Engenharia na Universidade de Defesa Nacional, Caputo deixou o curso e logo migrou para a Ciência Política na Universidade de Buenos Aires. Já na área de ciência política, passou a se dedicar a consultoria por meio da empresa Move Group, que trabalha com candidatos e empresas em El Salvador, Uruguai, Paraguai e Chile.

No colégio, era muito amigo de Ramiro Marra, quem mais tarde o colocaria dentro do A Liberdade Avança, partido criado em 2021 com a proposta de ser uma opção libertária para a política argentina. O mesmo partido minúsculo que naquele ano elegia Milei e Victoria Villarruel para o Congresso.

Ramiro Marra também foi a conexão de Caputo com o líder libertário. Marra é um dos homens de confiança de Milei, sempre fotografado ao seu lado, e quem recebeu a nomeação para disputar a prefeitura de Buenos Aires, mas não venceu.

Não demorou muito para Caputo criar uma relação de amizade profunda com Milei, a ponto de ser um dos poucos a ter acesso ao quarto de hotel onde o libertário está hospedado desde a vitória no primeiro turno e montou seu Quartel General (chamado pelos argentinos de bunker).

Publicidade

É filho de Claudio Caputo, presidente do Colégio de Notários da Cidade de Buenos Aires, e sobrinho de Nicolás “Nicky” Caputo, o “irmão de alma” de Mauricio Macri. Outro tio é Luis “Toto” Caputo ex-ministro das Finanças de Macri que recebeu o apelido de “Messi das finanças”.

Tão próximo do PRO, foi ele quem promoveu a aproximação entre Milei e Macri. Segundo o jornal La Nación, também é mérito de Caputo a única coletiva de imprensa realizada até hoje por Milei.

Ocupa um lugar de tanta importância para o novo presidente argentino que, no discurso de vitória, foi citado apenas depois da irmã de Milei, Karina, e antes de Villarruel, agora vice-presidente eleita. “Com a função desempenhada nos últimos anos, está no mesmo nível que minha irmã”, disse Milei em uma entrevista à rádio Mitre.

Na mesma entrevista, o presidente disse que seu consultor não vai ocupar o cargo de secretário-geral da Presidência, como diziam os rumores. “Temos que encontrar um lugar para ele na nova estrutura que estamos planejando, mas claramente vai ter um papel que para mim será fundamental”.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.