PUBLICIDADE

Foto do(a) blog

O blog da Internacional do Estadão

Vídeo mostra confusão durante comício da oposição em Barinas, na Venezuela

CARACAS - O governo da Venezuela anunciou no domingo, 30, a prisão do suposto autor dos disparos que mataram três ativistas da oposição durante um comício, no sábado, 29, em Barinas. A morte de uma terceira vítima foi informada também ontem pelo líder opositor Julio Borges, do partido Primero Justicia (PJ), legenda pela qual concorre à presidência Henrique Capriles, adversário de Hugo Chávez na eleição presidencial de domingo. No Twitter, Capriles lamentou o ocorrido.

Por redacaointer
Atualização:

Veja vídeo:

PUBLICIDADE

A prisão foi anunciada pelo ministro do Interior, Tareck el-Aissami, pelo Twitter. "Detido o autor material dos homicídios ontem em Barinas", escreveu, mas sem dar maiores detalhes. Logo depois, o presidente da Assembleia Nacional (Parlamento), o chavista Diosdado Cabello, também informou a prisão do suspeito, além de outras duas pessoas supostamente envolvidas no crime.

As mortes ocorreram durante um ato de Capriles perto da cidade de Barinas, cidade natal e reduto eleitoral de Chávez. As prisões provocaram uma nova troca de acusações entre situação e oposição. Borges afirmou que os detidos seriam funcionários locais do Ministério do Meio Ambiente e da Polícia Regional. Cabello rebateu negando e classificando o líder do PJ como "irresponsável e tolo".

 

 

 

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.