PUBLICIDADE

Reino Unido: teste de míssil Trident, capaz de transportar ogivas nucleares, falha pela segunda vez

Míssil, que estava programado para voar vários milhares de quilômetros, caiu poucos metros após o lançamento, sem causar danos, em algum lugar do Atlântico, entre o Brasil e a África

Foto do author Redação
Por Redação

O teste de lançamento de um míssil Trident, capaz de transportar ogivas nucleares, a partir de um submarino da Marinha Real Britânica falhou pela segunda vez consecutiva, conforme relatado pelos meios de comunicação do Reino Unido nesta quarta-feira, 21.

Na presença do ministro da Defesa britânico, Grant Shapps, o míssil disparado do submarino nuclear HMS Vanguard não chegou ao seu destino no meio do Oceano Atlântico e caiu a poucos metros do seu local de lançamento, conforme revelou o jornal The Sun.

Tecnologia ultrassecreta no fundo do mar

PUBLICIDADE

Este é o segundo lançamento fracassado deste tipo de míssil depois de uma falha anterior em 2016. O Ministério da Defesa confirmou que ocorreu “uma anomalia” no teste, realizado em 30 de janeiro perto da costa da Flórida, nos Estados Unidos, embora tenha afirmado que a capacidade nuclear do Reino Unido continua “efetiva”.

Segundo o The Sun, os propulsores da primeira fase do lançamento não acenderam, e o míssil, pesando cerca de 58 toneladas e equipado com ogivas falsas, afundou no oceano. A Marinha Real ordenou uma investigação sobre as causas da falha, bem como uma operação para recuperar do fundo do mar uma arma equipada com tecnologia ultrassecreta.

Vídeo divulgado nesta quarta-feira, 21, pelo Ministério da Defesa do Reino Unido mostra um míssil sendo disparado do HMS Vigilant, que lançou um míssil balístico desarmado Trident II (D5). Foto: MOD via AP

Fracassos “preocupantes”

O míssil estava programado para voar vários milhares de quilômetros antes de cair, sem causar danos, em algum lugar do Atlântico, entre o Brasil e a África Ocidental. O fracasso suscitou críticas da oposição no Reino Unido e levantou dúvidas sobre o programa nuclear do país, após o fracasso de um míssil que custa por volta de 17 milhões de libras.

O porta-voz trabalhista de Defesa, John Healey, disse que os relatos do fracasso do Trident eram “preocupantes” e instou Shapps a garantir que a dissuasão nuclear britânica continua eficaz. Ao mesmo tempo, reiterou o apoio do principal partido da oposição – e grande favorito à chegada ao poder nas eleições gerais marcadas para este ano – ao programa nuclear britânico. /EFE.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.