PUBLICIDADE

Ex-presidente do Chile, Sebastián Piñera, morreu de ‘asfixia por afogamento’, segundo autópsia

Sebastián Piñera faleceu após queda de helicóptero que ele próprio pilotava

Foto do author Redação
Por Redação

Tatiana Esquivel, promotora da região de Los Ríos, no sul do Chile, afirma que os resultados da autópsia do ex-presidente do Chile, Sebastián Piñera, já foram entregues à família do mandatário e demonstram que ele faleceu devido a “asfixia por afogamento”. A autópsia durou quatro horas, de acordo com o Serviço Médico Legal (SML).

Uma equipe multidisciplinar, coordenada pela promotoria da região, continua as investigações sobre as causas precisas da morte do ex-presidente, que faleceu após o helicóptero que ele próprio pilotava cair no Lago Ranco na terça-feira, 6.

Sebastián Piñera, morreu de ‘asfixia por afogamento’, segundo autópsia  Foto: Esteban Félix, Archivo/ AP

PUBLICIDADE

Por enquanto, não serão oferecidos mais detalhes. As duas principais hipóteses sobre a morte ainda não poderão ser esclarecidas: foi um problema técnico decorrente das más condições climáticas na área, com ventos fortes e chuva? Ou algum problema físico do mandatário, de 74 anos, que teria perdido o controle e não conseguiu soltar o cinto de segurança?

A promotoria indicou, no entanto, que a investigação ainda está em curso e segue outras duas linhas: a perícia na própria aeronave, que teve que ser retirada do lago, e o interrogatório dos três sobreviventes do acidente, a irmã do mandatário, Magdalena Piñera, e o empresário e amigo Ignacio Guerrero com seu filho, que conseguiram sair nadando.

Piñera era um piloto experiente que gostava de pilotar suas próprias aeronaves particulares, e até solicitava isso quando era presidente da República. Após a autópsia no SML, o caixão com o corpo do mandatário foi enviado para o aeroporto de Valdivia, cerca de mil quilômetros ao sul de Santiago do Chile, de onde viajou para a capital.

Ele foi recebido pelas autoridades no aeródromo da Força Aérea do Chile (FACH) e de lá levado para a antiga sede do Congresso chileno, no centro da cidade. O funeral de Estado será realizado na manhã de sexta-feira, 9, na Catedral Metropolitana de Santiago, anunciou nesta quarta-feira o chanceler do Chile, Alberto van Klaveren./EFE

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.