PUBLICIDADE

Terremoto no Nepal deixa pelo menos 157 mortos e 184 feridos

Tremor de magnitude 5,6 foi sentido na vizinha Índia, a mais de 800 km do epicentro

Por AP
Atualização:

Kathmandu, Nepal - Helicópteros e tropas terrestres correram para ajudar as pessoas feridas em um forte terremoto que sacudiu distritos no noroeste do Nepal pouco antes da meia-noite de sexta-feira, 3, matando pelo menos 157 pessoas e 184 feridos, disseram as autoridades neste sábado.

PUBLICIDADE

As autoridades disseram que o número de mortos deve aumentar, observando que as comunicações foram cortadas em muitos lugares. No hospital regional da cidade de Nepalgunj, mais de 100 leitos foram disponibilizados e equipes de médicos ficaram à disposição para ajudar os feridos.

“Eu estava dormindo profundamente quando, de repente, tudo começou a tremer violentamente. Tentei correr, mas a casa inteira desabou. Tentei fugir, mas metade do meu corpo ficou enterrado nos escombros”, disse Bimal Kumar Karki, uma das duas primeiras pessoas a serem levadas para o hospital regional.

Pessoas caminham nos escombros de casas no distrito de Jajarkot  Foto: Prakash Mathema/AFP

“Eu gritei, mas todos os meus vizinhos estavam na mesma situação e gritavam por socorro. Levou quase meia hora ou uma hora até que os socorristas me encontrassem”, disse ele.

O Serviço Geológico dos Estados Unidos informou que o terremoto teve uma magnitude preliminar de 5,6 e ocorreu a uma profundidade de 18 km. O Centro Nacional de Monitoramento e Pesquisa de Terremotos do Nepal disse que o epicentro foi em Jajarkot, que fica a cerca de 400 quilômetros a nordeste da capital do Nepal, Katmandu.

No início do sábado, helicópteros de resgate voaram para a região para ajudar e as forças de segurança no local estavam retirando os feridos e mortos dos escombros, disse o porta-voz da polícia do Nepal, Kuber Kadayat.

As tropas estavam limpando estradas e trilhas nas montanhas que foram bloqueadas por deslizamentos de terra provocados pelo terremoto. Helicópteros transportaram profissionais da área médica e medicamentos para os hospitais da região.

Publicidade

Primeiro-ministro do Nepal, Pushpa Kamal Dahal (D), visita vítimas do terremoto em Jajarkot  Foto: EFE/EPA/Gabinete do primeiro-ministro do Nepal

O primeiro-ministro Pushpa Kamal Dahal também voou em um helicóptero com uma equipe de médicos. Dahal liderou uma revolta comunista armada de 1996 a 2006, que começou nos distritos atingidos pelo terremoto. Em seu helicóptero foram transportadas sete pessoas para o hospital.

No distrito de Jajarkot, uma área majoritariamente agrícola, pelo menos 105 pessoas foram confirmadas como mortas e 52 no distrito vizinho de Rukum, segundo as autoridades. Outras 184 ficaram feridas.

As autoridades de segurança trabalharam com os moradores durante toda a noite, na escuridão, para retirar os mortos e feridos das casas caídas.

O terremoto, que ocorreu quando muitas pessoas já estavam dormindo em suas casas, foi sentido na capital da Índia, Nova Délhi, a mais de 800 quilômetros de distância.

Epicentro do terremoto foi detectado a cerca de 400 km da Kathmandu, a capital nepalesa Foto: AP/Gabinete do primeiro-ministro do Nepal

Os terremotos são comuns no montanhoso Nepal. Um terremoto de magnitude 7,8 em 2015 matou cerca de 9 mil pessoas e danificou cerca de 1 milhão de estruturas.

A vizinha Índia se ofereceu para ajudar nos esforços de resgate.

O primeiro-ministro indiano, Narendra Modi, publicou nas mídias sociais que estava profundamente triste com a perda de vidas e os danos causados pelo terremoto no Nepal. “A Índia é solidária com o povo do Nepal e está pronta para oferecer toda a assistência possível”, disse ele.

Publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.