Modelos antigos de eletrônicos podem ser melhores do que novos; saiba como escolher o seu

Apesar dos lançamentos quase constantes de novos produtos, algumas pessoas estão encontrando valor na tecnologia que deixamos para trás

Por Chris Velazco (The Washington Post)
Atualização:

Depois de muita deliberação, um novo laptop chegou à minha porta na semana passada. Ok, “novo” pode ser um exagero. É um Chromebook esbelto chamado Pixelbook, e tem quase sete anos de idade.

Eu o encomendei por alguns motivos: É um dos computadores mais bonitos que já vi em minha carreira e encontrei uma ótima oferta (esse Pixelbook custava US$ 1.649 no lançamento, mas paguei apenas um décimo desse valor). Mas o mais importante é que o comprei porque, de alguma forma, ele era a máquina perfeita para o que eu precisava.

O reMarkable 2, de US$ 299, oferece mais recursos e flexibilidade para pessoas que planejam escrever muito  Foto: Chris Velazco/The Washington Post

PUBLICIDADE

Se você for como eu, pode descobrir que precisa de algo tão específico que os novos produtos simplesmente não se encaixam. E é aí que os anais da história dos gadgets, espalhados pelos leilões do eBay e pelas prateleiras dos brechós, podem começar a parecer relevantes novamente.

Veja meu “novo” Pixelbook. Tudo o que eu realmente queria era um laptop ultraportátil com um bom teclado para escrever meus pequenos projetos pessoais em cafeterias, um laptop que eu não sentisse a necessidade de cuidar por ter custado tão pouco.

Com esse Chromebook antigo, consegui exatamente a ferramenta que estava procurando. Qualquer coisa mais ambiciosa ou mais cara teria sido um exagero e, francamente, estou ficando cansado de exageros.

Às vezes, um tipo de gadget mais específico é o mais fácil de adotar. E, pelo menos em minha experiência, é mais fácil encontrar esse tipo de foco em dispositivos mais antigos.

O reMarkable 2 é outro exemplo. Comecei a usar esse tablet de papel eletrônico há mais de três anos, na época em que eu tinha um cabelo cheio e fazia vídeos do YouTube no porão da minha casa.

Publicidade

Naquela época, eu estava um pouco apavorado com o fato de que meu estilo de vida de só digitar e nunca escrever à mão estava me deixando um pouco mais burro, por isso me comprometi a escrever no reMarkable 2 tarefas, ideias de histórias e tudo o mais que normalmente estaria espalhado em vários cadernos minúsculos por um longo período. Essa fase não durou muito tempo, mas o tablet serviu como um útil diário digital.

Mesmo agora, quando enfrenta a concorrência mais recente do Kindle Scribe da Amazon e dos muitos e malucos dispositivos e-Ink da Onyx, eu ainda escreveria em um reMarkable do que em qualquer outra coisa. Isso se deve ao fato de que, dentre as muitas opções disponíveis, essa é a que, sem dúvida, deu mais atenção à experiência de escrever, fazer anotações e esboços.

Apreço crescente pela tecnologia retrô

Não sou o único que tem uma queda por aparelhos antigos. Com o passar dos anos, um grupo cada vez maior de comunidades surgiu para apreciar tipos de dispositivos ainda mais antigos - e elas estão surpreendentemente cheias de jovens.

Na esteira da morte silenciosa do iPod, fãs de todas as idades se reuniram no Reddit e no Discord, trocando dicas de como prolongar a vida útil de seus MP3 players. Eles ainda estão fazendo isso. Parte do carinho pelo iPod se deve à nostalgia, certamente, mas muitos dos fãs mais jovens com quem conversei disseram que queriam salvar seus iPods porque eles foram projetados para fazer uma coisa - tocar música - muito bem.

PUBLICIDADE

Não se pode dizer o mesmo de algo como o iPhone, um dispositivo que, desde o início, foi projetado para fazer um pouco de tudo. E, aparentemente, com poucas empresas interessadas em desenvolver novos players de música com preços razoáveis, a obsessão desta comunidade com os iPods pode perdurar por algum tempo.

Mais recentemente, também me juntei a um grupo de jovens de 20 e poucos anos que passaram a apreciar a estética sombria, granulada e mal iluminada das câmeras digitais de meados dos anos 2000, ou “digicams”, como eles as chamam.

Muitos desses jovens criativos não gastaram mais do que US$ 50 em suas câmeras digitais, se é que pagaram alguma coisa. Algumas são apenas tiradas dos armários e das gavetas das mesas dos pais. E, para alguns deles, as câmeras digitais substituíram em grande parte seus smartphones como as lentes pelas quais eles veem o mundo. Mas por quê?

Publicidade

As justificativas que costumo ouvir se enquadram em duas categorias. Primeiro, os smartphones modernos produzem imagens que estão mais preocupadas em parecer boas do que em parecer reais.

A segunda, e mais importante, é que os telefones distraem naturalmente os usuários de uma forma que as câmeras não distraem. Eles argumentam que os telefones são úteis para registrar sua vida, mas também dificultam a sensação de estar presente no momento.

Aparelhos mais velhos podem ser melhores que os mais atuais Foto: Taba Benedicto/Estadão

“Se eu quiser ter aquela conexão pessoal em uma festa em que não quero ter meu telefone na mão, com certeza vou usar minha câmera digital”, disse Mia Moran, cineasta de 25 anos de Santa Barbara, Califórnia, EUA. “Não gosto de me sentir muito distraída com meu telefone.”

Claramente, há algum tipo de apetite por novas ferramentas tecnológicas criadas para fins específicos - ferramentas que não exijam tanto de nossa atenção enquanto fazem seu trabalho (alguns exemplos estão sendo desenvolvidos, como este BlackBerry e-Ink minimalista, ou o curioso Ai Pin da Humane). Mas até que as grandes empresas adotem mais plenamente esses apetites, os gadgets antigos continuarão sendo, às vezes, os melhores gadgets.

O que ter em mente ao procurar por tecnologia antiga

Não importa se você está procurando uma câmera digital antiga ou o computador de escrever barato ideal, encontrar a tecnologia antiga certa pode ser muito mais complicado do que comprar algo novo na caixa. Aqui estão algumas coisas que vale a pena ter em mente:

Seja muito exigente com o que você encontrar. Levei semanas para encontrar uma versão do Chromebook que eu queria e que tivesse uma bateria em muito boas condições - uma raridade para um computador tão antigo. Se achar que encontrou o que estava procurando, reserve um tempo para ter certeza de que é exatamente o que queria e entre em contato com o vendedor para verificar novamente, se necessário.

Faça uma ampla pesquisa. Claro, você poderia simplesmente configurar as notificações do eBay para o produto que está procurando e esperar pelo melhor. Mas também vale a pena procurar periodicamente em outros lugares, como leilões online da Goodwill, vendas de imóveis nas proximidades e, é claro, Craigslist e Facebook Marketplace.

Publicidade

De quais acessórios ela precisa? Algumas câmeras digitais mais antigas usam formatos de cartão de memória obscuros. Os iPods clássicos são famosos por usarem um cabo de 30 pinos que a Apple abandonou há mais de uma década. Não deixe de levar em conta esses complementos (e substituições) cruciais em seu orçamento.

Tente se sentir confortável com reparos básicos. Provavelmente não haverá garantia para você recorrer, portanto, vale a pena ler sobre alguns dos pontos comuns de falha e como eles podem ser consertados. Certamente não faria mal nenhum ter um pequeno conjunto de ferramentas apropriadas - a iFixit faz ótimos conjuntos - que poderiam ser usadas para pequenos reparos.

Este conteúdo foi traduzido com o auxílio de ferramentas de Inteligência Artificial e revisado por nossa equipe editorial. Saiba mais em nossa Política de IA.

Tudo Sobre
Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.