Apple cancela seu projeto de carro elétrico com capacidade de condução autônoma

O carro, que custou bilhões de dólares em pesquisas, tinha como objetivo ser um rival dos veículos elétricos da Tesla, que incluem recursos de direção autônoma

PUBLICIDADE

Por Brian X. Chen

A Apple cancelou seus planos de lançar um carro elétrico com capacidade de condução autônoma, um produto secreto que vinha sendo trabalhado havia quase uma década.

PUBLICIDADE

A empresa disse aos funcionários em uma reunião interna na terça-feira, 27, que havia descartado o projeto e que os membros do grupo seriam transferidos para diferentes funções, inclusive na divisão de inteligência artificial da Apple, de acordo com uma pessoa informada sobre a discussão, que pediu anonimato porque o anúncio não era público.

Como parte da reestruturação, Kevin Lynch, um executivo que esteve envolvido no projeto do carro, se reportará a John Giannandrea, o chefe de estratégia de inteligência artificial da empresa, disse a pessoa.

A Apple não quis comentar. A notícia de que a Apple estava encerrando seu plano de carro foi relatada anteriormente pela Bloomberg.

O presidente executivo da Apple, Tim Cook, no ano passado. O cancelamento de seu programa de carros autônomos foi um raro revés público para a empresa, que normalmente não abandona projetos de alto perfil como esse  Foto: Loren Elliott/Reuters

Embora a Apple não tenha revelado seu carro aos consumidores, o produto foi, durante muitos anos, um dos segredos mais mal guardados do Vale do Silício, pois estava sendo testado em vias públicas. O cancelamento é uma medida rara por parte da Apple, que normalmente não arquiva projetos tão públicos e de grande visibilidade.

Nos últimos anos, a empresa tem se esforçado para encontrar novos caminhos para o crescimento, já que seu importantíssimo iPhone saturou o mercado e as pessoas estão atualizando seus telefones com menos frequência do que antes.

Tim Cook, executivo-chefe da Apple, deu a entender publicamente que a Apple estava interessada em entrar no mercado de automóveis. A empresa também vinha testando centenas de veículos equipados com tecnologia de direção autônoma em público há muitos anos. O carro, cujo codinome interno era Titan e Project 172, foi um produto desafiador para ser desenvolvido, já que partes da divisão foram fechadas, planos foram descartados e reiniciados e dezenas de funcionários foram demitidos ao longo do caminho.

Publicidade

O carro, que a Apple gastou bilhões de dólares em pesquisas, tinha como objetivo ser um rival dos veículos elétricos da Tesla, que incluem recursos de direção autônoma.

O produto era importante para o legado de Cook, pois teria contrariado a percepção de que a Apple havia perdido sua capacidade de inovar e criar a próxima grande novidade. Sob a liderança de Cook, a empresa lançou um pequeno número de novos produtos de hardware, incluindo o Apple Watch, que agora lidera o mercado de relógios inteligentes; o alto-falante inteligente HomePod, que fracassou; e o Vision Pro, os óculos de US$ 3.500 lançados este mês para rivalizar com os fones de ouvido de realidade virtual da Meta.

A empresa investiu muito no desenvolvimento de novas tecnologias. Nos últimos cinco anos, ela gastou US$ 113 bilhões em pesquisa e desenvolvimento./THE NEW YORK TIMES

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.