PUBLICIDADE

Cantora Grimes disponibiliza voz para fãs criarem música com IA e vai dividir 50% dos ganhos

Decisão da cantora vai na contramão de como artistas têm lidado com inteligência artificial

Foto do author Redação
Por Redação

A cantora Grimes decidiu entrar no mundo da inteligência artificial (IA) em conjunto com seus fãs — e vai pagar para quem usar sua própria voz para criar músicas novas com a tecnologia. A artista vai disponibilizar seus vocais de graça para que outras pessoas possam utilizá-los sem custo.

PUBLICIDADE

Grimes afirmou, em uma publicação no Twitter, que, caso alguma música com a sua voz criada por IA faça sucesso, a artista vai dividir os ganhos com o autor da “obra” conjunta. A divisão, segundo a cantora, vai ser igualitária, com metade do valor para a pessoa que criou a canção.

“Eu vou dividir 50% dos royalties em qualquer música bem-sucedida gerada por IA que use minha voz. O mesmo acordo que eu faria com qualquer artista com quem colaboro. Sinta-se à vontade para usar minha voz sem penalidade. Não tenho gravadora e nem vínculos legais”, declarou Grimes.

O movimento vai na contramão do que outros cantores têm enfrentado com a ascensão de ferramentas de IA de geração de conteúdo. Com trechos que imitam as vozes de artistas, músicas feitas por essas tecnologias têm feito sucesso nas redes sociais e enfrentam processos por violação de direitos autorais.

Um dos casos mais recentes envolveu uma suposta colaboração entre os artistas Drake e The Weeknd, em uma música chamada “Heart On My Sleeve”, criada inteiramente por um usuário do TikTok via IA. Na última semana, a Universal Music, que detém os direitos das músicas dos dois cantores, pediu para que a criação fosse retirada das plataformas de streaming de áudio, pedido que foi atendido pela Justiça americana.

“O treinamento de IA que gerou conteúdo utilizando músicas dos nossos artistas foi uma ‘violação de direitos autorais’”.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.