China aprova plano para bolsa de valores voltada para tecnologia

Entidade, que funcionaria de forma similar à americana Nasdaq, em Xangai, foi aprovada pelo presidente Xi Jinping, divulgou agência de notícias local

PUBLICIDADE

Por Agências
Atualização:
O presidente chinês, Xi Jinping, deu seu aval para o início da bolsa Foto: Mark Schiefelbein/Pool/REUTERS

A China aprovou nesta semana um plano para a criação de uma bolsa de valores voltada apenas a empresas de tecnologia. Situada em Xangai, a entidade terá funcionamento parecido com a bolsa de valores americana Nasdaq, onde são negociadas ações de empresas como Facebook, Amazon e Apple. 

PUBLICIDADE

Segundo a Xinhua, agência de notícias estatal da China, o presidente Xi Jinping presidiu um comitê que investigava reformas na economia local. Ele deu seu aval para a criação da bolsa de valores especializada em tecnologia. 

De acordo com o presidente, também há um plano, já aprovado, de implementar um projeto piloto de abertuas de capital (IPO na sigla em inglês). O projeto dá conta de uma estrutura necessária para o ecossistema de startups chinês: no ano passado, o país deu origem a 97 unicórnios (startups avaliadas acima de US$ 1 bilhão), a despeito da desaceleração de sua economia e uma guerra comercial com os Estados Unidos. 

Os dados são da consultoria Hurun Report, baseada em Xangai. Ao todo, hoje a China tem 186 startups que podem ser consideradas unicórnios, com valores que, somados, chegam a US$ 736 bilhões. Entre elas, estão a fintech Ant Financial, a startup de mídia Bytedance e a Didi, rival do Uber e dona da brasileira 99. 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.