ChatGPT: 4 maneiras de usar a ferramenta de IA, segundo este executivo da OpenAI

Chatbot de inteligência artificial pode ser adotado em escolas, escritórios e para afinar outras habilidades

PUBLICIDADE

Foto do author Guilherme Guerra
Por Guilherme Guerra

ENVIADO ESPECIAL A AUSTIN — Ferramentas de inteligência artificial (IA) generativa como o ChatGPT são capazes de criar conteúdos com os mais diferentes formatos: e-mails, mensagens de texto, publicações para redes sociais, legendas de imagens, textos corporativos, poemas e até contos de terror.

PUBLICIDADE

“Depende de como cada pessoa usa”, afirma o executivo Peter Deng, vice-presidente de produtos na OpenAI e chefe do time responsável por desenvolver o ChatGPT, no palco principal do South by Southwest (SXSW) 2024, festival de tecnologia, música e cinema que acontece entre os dias 8 e 15 de março em Austin, nos Estados Unidos.

Deng diz que essas ferramentas de inteligência artificial “nos tornam mais humanos”, porque possibilitam que as pessoas explorem novas habilidades, enquanto tarefas repetitivas são automatizadas.

“Nossas mentes são extremamente ocupadas, mas, para aquietar a mente, é preciso dar um tempo”, diz Deng. “De certa forma, a IA nos libera para pensar sobre outras coisas e nos dá esse tempo. E a ferramenta nos ajuda a aprofundar e pensar sobre outros problemas”, diz Deng.

Na conferência do SXSW 2024, o chefe do ChatGPT deu algumas dicas sobre como o chatbot da OpenAI pode ser útil. Veja abaixo.

‘Professor incansável’

“O ChatGPT é um professor incansável, pepétuo”, define Peter Deng. Para ele, esse é o maior uso que a ferramenta de inteligência artificial pode ter.

Em vez de se preparar para o futuro, use a IA para acelerar em direção a ele

Peter Deng, executivo da OpenAI

É possível utilizar o ChatGPT para fazer de perguntas simples às mais complexas. No uso escolar, por exemplo, a ferramenta pode ser útil na lição de casa ou para esclarecer dúvidas simples de estudantes com base em textos clássicos.

Publicidade

“Quando eu estava aprendendo no ensino médio, ler Shakespeare era uma luta. Eu costumava ir para a casa, ler alguns capítulos e não entendia metade das palavras escritas”, diz o executivo da OpenAI. “Com IA, alunos podem ler e perguntar sobre as cenas e as intenções dos personagens. Isso é muito útil”.

ChatGPT é o robô de inteligência artificial da OpenAI Foto: Dado Ruvic/Reuters

Parceiro de pensamento

Outro uso é transformar o ChatGPT num parceiro no processo criativo, buscando uma segunda opinião — mas da máquina.

Para escritores, é possível utilizar a ferramenta para avaliar a qualidade de um texto, por exemplo. Ou o caminho inverso: avaliar o texto gerado pela IA, reaproveitando as melhores partes.

“Eu uso o ChatGPT para falar sobre uma ideia”, define Deng. “É um parceiro de pensamento”.

Acelerar tarefas no trabalho

Deng é claro: adote a IA no dia a dia do trabalho, em vez de evitar usá-la. Ele recomenda adotar o ChatGPT para avaliar planilhas, criar resumos de reuniões e criar conjuntos de códigos para computadores.

“Use o ChatGPT para acelerar mais rápido no trabalho”, afirma o executivo da OpenAI. “Em vez de se preparar para o futuro, use a IA para acelerar em direção a ele.”

Executivo Peter Deng (dir.), da OpenAI, é responsável por chefiar os times que desenvolvem o ChatGPT Foto: Guilherme Guerra/Estadão - 11/3/2024

Atice a curiosidade

Por fim, Deng recomenda explorar as funções de geração de texto dos chatbots até encontrar novas formas de adicionar a ferramenta ao cotidiano.

Publicidade

Segundo o executivo, a OpenAI está atenta a novos usos do chatbot, que se torna mais inteligente a cada atualização. “O mundo precisa de uma ferramenta flexível que permita remover barreiras dos objetivos que as pessoas têm”, diz.

Por isso, a dica de Deng é testar o ChatGPT à exaustão. “Permaneça curioso. Vai lá e teste. Veja o que a IA pode fazer. E nos diga como você quer usar a IA”, diz.

*Repórter viajou a convite do Itaú

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.