Netflix pode comprar Roku para oferecer assinatura mais barata com anúncios

Funcionários da Roku afirmaram que há rumores sobre negociação com Netflix desde a última semana, afirmou o site americano Business Insider

PUBLICIDADE

Por Redação Link
Atualização:
Gigante das séries e vídeos tem sofrido com a queda de usuários Foto: Denis Balibouse/Reuters

Para retomar a força no setor de streaming, Netflix e Roku podem ser parte de uma mesma empresa em breve. De acordo com o site americano Business Insider, a Roku, aparelho de conexão de TV com redes de streaming — semelhante ao Chromecast, do Google — estaria discutindo internamente a possibilidade de aceitar uma proposta da gigante dos filmes e séries. 

PUBLICIDADE

O principal interesse da Netflix na empresa é o negócio de publicidade que a Roku gerencia na plataforma, depois que seu último balanço mostrou queda no número de usuários e receita abaixo da expectativa do mercado financeiro. Isso fez a empresa repensar na adição de anúncios para lançar uma assinatura com valor mais barato.

A Netflix deve ampliar as opções de planos de assinatura para usuários já nos próximos meses, afirmou o presidente da gigante do streaming, Reed Hastings, em conferência com investidores realizada após o último balanço, em abril. Segundo o executivo, os modelos devem ser de menor custo e baseados em anúncios pagos, em formato similar ao que fazem canais de televisão tradicionais — a Roku atuaria nesse segmento.

De acordo com fontes ouvidas pelo Business Insider, um movimento da Roku acendeu o alerta para a possível aquisição: os funcionários foram proibidos de vender ações que tinham na empresa. A prática, geralmente, não possui período estipulado para acontecer, mas a retenção dos papéis pode indicar que tem um negócio vindo para a empresa. 

Além disso, o interesse do Netflix na empresa seria respaldado pelos números já atingidos pela Roku. De acordo com o site, a empresa de aparelhos de streaming ganhou cerca de sete vezes mais dinheiro com o negócio de anúncios do que com a própria venda dos seus dispositivos.

“Aqueles que acompanham a Netflix sabem que sou contra a complexidade da publicidade e um grande fã da simplicidade das assinaturas”, declarou Hastings, fundador da gigante junto com Ted Sarandos, em abril. “Mas sou mais fã ainda da escolha do consumidor. Faz muito sentido permitir aos clientes que eles escolham um modelo mais barato, se eles são tolerantes a anúncios.”

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.