Pinterest inaugura escritório em São Paulo buscando expansão

Plataforma que hospeda coleções de imagens escolhidas por usuários monta no País a sua quinta base fora dos EUA

PUBLICIDADE

Por Murilo Roncolato
Atualização:

SÃO PAULO – Por enquanto, o recém-inaugurado escritório do Pinterest no Brasil é ocupado por apenas uma pessoa: Ricardo Sangion.

Ao ser escolhido pela empresa do Vale do Silício para elevar a presença da plataforma por aqui, o executivo deixou o cargo que ocupava na Microsoft e começou a rondar São Paulo em busca de novas parcerias.

 

PUBLICIDADE

Na sala que ocupa em um espaço de coworking no Itaim Bibi – que tem o prédio do Facebook de um lado, o do Google do outro, e o que hospeda o Twitter logo mais adiante –, o Pinterest chegou para incentivar empresas, novos negócios (pequenos ou grandes), artesãos ou aventureiros a colocar suas imagens na plataforma, inserir botões de compartilhamento do serviço em seus sites e, com sorte, pagar para ter seu conteúdo promovido.

Sangion combina com o ambiente das startups. Jovem, aprendeu a programar, formou-se publicitário, especializou-se administrador. Passou por operadoras de telecomunicações, mas mudou de lado e foi desenvolver negócios para as estrangeiras Electronics Arts (de games), Facebook e Microsoft.

Sua função agora é espalhar a marca, que conta 70 milhões de usuários no mundo, por aqui. Por sorte, ele já tem meio caminho andado. O Brasil está entre os 10 países com mais usuários na plataforma (que possui escritório apenas em outros quatro lugares fora dos EUA: Paris, Londres, Tóquio e Berlim).

Em 2014, segundo o Global Web Index, ela foi a que mais cresceu em usuários cadastrados (54%) e ativos (97%), à frente de Tumblr, Instagram, LinkedIn, YouTube, Twitter ou Facebook – este inclusive obteve queda nos números.

A comparação com outros sites, no entanto, parece não afetar o humor de Sangion. “A gente não se considera uma rede social, por isso não vemos nenhum concorrente direto”, diz. “Mas é fato que redes de nicho podem se dedicar mais a algo e, por isso, têm maior potencial de crescimento.”

Publicidade

Para ajudá-lo a expandir o Pinterest por aqui, o escritório brasileiro deve selecionar logo outros três profissionais: diretores de comunidade, parcerias e de marketing.

O Pinterest, criado em 2009 em São Francisco, recebeu ontem investimento de US$ 367 milhões e dobrou sua avaliação, agora em US$ 11 bilhões.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.