PUBLICIDADE

X ‘desvalorizou’ US$ 15 bilhões desde compra de Elon Musk, diz empresa

Em um ano, o valor de US$ 44 bi pago pelo bilionário se transformou em menos de US$ 20 bi perante o mercado

Foto do author Bruna Arimathea
Por Bruna Arimathea
Atualização:

O primeiro ano do X, antes conhecido como Twitter, sob a gestão de Elon Musk, não apresentou grandes resultados financeiros, confirmou a empresa nesta segunda-feira, 30. A rede social foi avaliada em cerca de US$ 19 bilhões, valor 55% menor do que o montante pelo qual foi comprada: US$ 44 bilhões. As informações foram reveladas em um documento enviado aos funcionários da empresa.

Os dados foram vistos pelo jornal americano The New York Times e informam que, para as novas concessões de ações para funcionários, os papéis teriam o valor de US$ 45 por ação e não os US$ 54,20 iniciais. Os funcionários ainda serão pagos em dinheiro no valor de US$ 54,20 por quaisquer ações em circulação que tenham sido concedidas a eles sob a administração anterior.

PUBLICIDADE

“Estamos transformando rapidamente a empresa do que ela era, o Twitter 1.0, para o app de recursos completos em que você pode fazer basicamente o que quiser em nosso sistema”, disse Musk aos funcionários em uma chamada para comemorar o primeiro aniversário da empresa sob seu comando.

Antes mesmo dos resultados serem divulgados para os funcionários, Musk já havia dito algumas vezes que o preço pago pela plataforma era valorizado. O bilionário concluiu a compra do então Twitter em outubro de 2022, após mais de seis meses de negociação com o financiamento e com a própria direção da rede social.

Na época, Musk contestou uma auditoria do Twitter sobre a quantidade de contas inautênticas que existiam na plataforma — perfis que eram essencialmente bots e, por isso, não poderiam ser monetizados. A empresa do passarinho azul afirmou que essa taxa era de 5% aproximadamente, mas uma investigação independente de Musk afirmou que os bots eram cerca de 20% dos usuários.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.