PUBLICIDADE

X, antigo Twitter, vale só 28,5% da cifra paga por Elon Musk, segundo um dos investidores da empresa

Fidelity contribuiu com a aquisição da rede social pelo bilionário, mas começou a reduzir o valor de suas ações logo no primeiro mês após a compra

Foto do author Redação
Por Redação

A Fidelity reduziu novamente o valor de suas ações na X Holdings, antigo Twitter, durante o mês de novembro, de acordo com o portal de notícias Axios. A corporação ainda divulgou, considerando o período de até o final de novembro de 2023, que o valor do X é 71,5% menor do que no momento da sua compra de US$ 44 bilhões. Ou seja, o antigo Twitter vale só 28,5% do valor pago pela aquisição.

PUBLICIDADE

A multinacional financeira, que contribuiu com mais de US$ 300 milhões para a aquisição da rede social por Elon Musk em outubro do ano passado, começou a reduzir o valor de suas ações do Twitter no primeiro mês após a aquisição por Musk. Ela aumentou o valor das ações ou o manteve estável por alguns meses no início de 2023.

Em novembro houve uma redução de 10,7% do valor das ações da rede social. No mesmo período, Musk disse aos anunciantes que estavam boicotando o X para “se f***erem” durante uma entrevista em evento do jornal New York Times.

Elon Musk foi entrevistado na Cúpula DealBook do New York Times. Embora tenha reconhecido que um boicote prolongado poderia levar à falência do X, ele sugeriu que o público culpasse as marcas em vez dele pelo colapso  Foto: Haiyun Jiang/The New York Times

A publicidade é responsável pela maior parte da receita do X. Musk criticou marcas que retiraram sua publicidade da plataforma depois que ele endossou uma teoria da conspiração antissemita na rede social.

Ele pediu desculpas pela postagem, mas disse que os anunciantes estavam tentando “chantageá-lo”. Sua mensagem para essas marcas foi simples: “Não anuncie”. Ele usou palavrões várias vezes para enfatizar seu ponto.

Cerca de 200 grandes anunciantes, incluindo The Walt Disney, Apple e IBM, pararam de gastar no X naquele momento. O congelamento poderia custar à empresa até US$ 75 milhões no trimestre, de acordo com documentos internos vistos pelo The New York Times.

Apesar de ser acionista da empresa, a Fidelity não necessariamente possui muitas informações internas sobre o desempenho financeiro do X, e outros acionistas podem avaliar as ações de maneiras diferentes, segundo o Axios.

Publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.