PUBLICIDADE

iPad é o produto mais desejado no Brasil

Segundo pesquisa, tablet da Apple 57% dos consumidores entrevistados comprariam o aparelho

PUBLICIDADE

Por Murilo Roncolato

O tablet da Apple é o objeto de consumo mais desejado pela maioria dos brasileiros de acordo com um novo estudo. Pesquisa da GfK mostra que 57% dos entrevistados comprariam um iPad se o preço fosse menor. Os resultados se referem ao iPad primeira geração, uma vez que as entrevistas foram feitas em janeiro desde ano, quando a segunda versão do tablet não havia sido lançada ainda nos Estados Unidos.

 

PUBLICIDADE

—- • Siga o ‘Link’ no Twitter e no Facebook

Segundo o estudo, cerca de 67% das intenções de compra partiram de jovens com idade entre 18 e 24 anos. Em contraste, apenas 37% das pessoas com mais de 55 anos comprariam o tablet.

No perfil sócio-econômico, a pesquisa aponta uma diferença muito pequena entre as classes. Entre os enquadrados nas classes A e B, 57% comprariam o aparelho; enquanto na C e D, esse número vai para 55%.

Nas lojas oficiais no Brasil, o preço do iPad “primeira geração” vai de R$ 1,4 mil a R$ 2,4 mil.

Para a pesquisa, a GfK entrevistou mil pessoas, maiores de 18 anos, distribuídas entre nove regiões metropolitanas e três capitais de todo Brasil.

iPad 2 em falta no mundo. O iPad 2 chegou a 25 países na sexta-feira, depois de ter sido lançado nos Estados Unidos no dia 11. Dentre eles Alemanha, Austrália, Canadá, França, Grécia, México, Reino Unido e República Tcheca. O novo tablet, que já estava em falta no estoque de várias lojas nos Estados Unidos, teve todas as suas unidades esgotadas neste fim de semana também nestes países.

Publicidade

O cenário visto nos EUA há poucos dias, repete-se agora ao redor do mundo. Filas enormes se formaram neste sábado em Londres, na Inglaterra, (veja vídeo abaixo feito pelo Only Gizmos), Paris (França), Canadá, Austrália e Alemanha.

Na semana passada Steve Jobs, o CEO licenciado da Apple, se disse surpreso pela forte demanda nos Estados Unidos em comunicado divulgado pela empresa e pediu a “paciência de todos”, enquanto eles trabalhavam “para fazer iPads suficientes para todos”. A Apple não havia divulgado números oficiais de venda do tablet até o momento. Analistas estimaram que perto de 1 milhão de unidades teriam sido vendidas nos Estados Unidos logo no fim de semana de estreia.

Em meio aos problemas de abastecimento enfrentados pela empresa californiana, o grave terremoto no Japão agravou a situação, posto que o país oriental é um dos principais fornecedores de peças da Apple.

A Fortune informou que uma loja da Apple em Paris vendeu mais de três mil iPads 2 entre as 17h e 22h da sexta-feira; equivalente a 10 iPads sendo vendidos por minuto.

Segundo a Reuters, analistas preveem vendas de 30 milhões de unidades ou mais do tablet em 2011, gerando um faturamento de US$ 20 bilhões para a Apple.

A segunda geração do tablet segue ainda sem previsão de chegada no Brasil. Pelo site da empresas é possível se cadastrar para ser informado sobre a futura data.

 

—-Leia mais:Link no papel – 28/03/2011Aberta a temporada de tablets no BrasilPortáteis estão na agenda de DilmaSem demanda, sem ofertaCom vendas pífias no formato digital, editoras hesitamNova versão do app EstadãoPara baixarDetalhes que fazem a diferença

Publicidade

Tudo Sobre
Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.