EUA dizem ter evidências de que líder do Taliban está morto

Os Estados Unidos disseram neste domingo que têm evidências "bastante conclusivas" de que o líder Taliban paquistanês Baitullah Mehsud está morto, apesar de um alto comandante Taliban haver negado relatos de disputas entre os líderes do grupo.

ALAMGIR BITANI, REUTERS

09 de agosto de 2009 | 12h22

A Casa Branca havia dito neste domingo mais cedo que não podia confirmar as afirmações do governo paquistanês de que o chefe Taliban Baitullah Mehsud havia sido morto por um avião não-tripulado da CIA.

Perguntado no domingo se Mehsud havia sido morto no ataque, o assessor de segurança nacional da Casa Branca, Jim Jones, disse ao programa "Meet the Press" (encontro com a imprensa): "Acreditamos que sim. Nós colocamos na categoria de 90 por cento."

Os comentários aumentam a lista de informações não confirmadas vindas dos dois lados, do governo paquistanês e do Taliban, relacionadas à morte de Mehsud na quarta-feira passada.

O comandante Taliban Wali-ur-Rehman negou informações de que se envolveu num tiroteio com Hakimullah Mehsud, um rival na disputa pela liderança do Taliban no Paquistão.

Wali-ur-Rehman, falando ao telefone com um repórter da Reuters com quem já falou várias vezes, negou que houve uma reunião extraordinária da chura, conselho tribal, para decidir quem seria o sucessor de Baitullah.

"Não há disputas. Não houve briga. Estamos ambos vivos e não houve reunião especial da chura", disse.

Hakimullah Mehsud havia negado que Baitullah Mehsud foi morto por um ataque norte-americano.

Mais conteúdo sobre:
EUATALIBANMORTO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.