Europa tem abilidade para resolver a crise, diz ministro chinês

A China está confiante na capacidade da Europa em superar a crise da dívida, disse o ministro de relações exteriores Yang Jiechi, acrescentando que a estabilidade na zona do euro é crucial para a recuperação da economia global.

REUTERS

06 de novembro de 2011 | 09h26

Yang, porém, não falou em aumento de aportes por parte da China para a Europa em declaração na noite deste sábado.

"Acreditamos que a Europa tem total liberdade e abilidade para resolver seu problema de débito", afirmou, em nota publicada no site do ministério que lidera.

Países da zona do euro procuraram a China para ajudar em seu pacote de socorro, desembolsando algo dos seus 3,2 bilhões de dólares que o país asiático possui em reservas.

Líderes do G20 fracassaram na cúpula em Cannes nesta semana em garantir novos recursos de potenciais investidores como a China e o Brasil que seriam destinados a sanar a crise da dívida da zona do euro.

A crise continua preocupando os mercados financeiros à medida em que o tumulto político na Grécia colocou em xeque um acordo para seu resgate e o alto endividamento da Itália tornou-se o foco da atenção do mercado.

A chanceler alemã, Angela Merkel, disse mais cedo que havia muito trabalho a ser feito para resolver a crise e que levaria uma década antes de a zona do euro estar em uma situação melhor.

"Certamente vai demorar uma década até que estejamos em uma boa posição novamente," afirmou Merkel em seu podcast semanal. "Temos um grande trabalho pela frente. Tenho que dizer isso", acrescentou.

(Reportagem de Sui-Lee)

Tudo o que sabemos sobre:
FINCHINAEURO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.