Explosões deixam um morto e 21 feridos no Quênia

Uma explosão de granada no centro de Nairóbi, na noite desta segunda-feira, matou uma pessoa e feriu pelo menos oito, o segundo ataque na capital queniana em menos de 24 horas, informou a polícia.

REUTERS

24 de outubro de 2011 | 18h06

As duas explosões de granadas aconteceram dois dias depois de a embaixada dos Estados Unidos no Quênia advertir que um ataque era iminente, já que a nação do leste africano combate militantes islâmicos na vizinha Somália anárquica.

"Oito feridos foram enviados ao Hospital Nacional Kenyatta, (há) um morto após a explosão", informou a Cruz Vermelha no Twitter.

A polícia disse que a explosão foi em um terminal de ônibus no centro de Nairóbi.

"Uma explosão ocorreu na estação, uma pessoa morreu e oito foram levadas para o hospital. Foi uma granada manual de novo", disse o vice-porta-voz policial Charles Owino.

Nesta manhã, outro ataque de granada em um bar em Nairóbi feriu 13 pessoas. Ninguém reivindicou imediatamente a responsabilidade pelas explosões.

Os rebeldes da Al Shabaad, grupo ligado à Al Qaeda na Somália, que lançaram ataques similares no passado na Somália e em Uganda, ameaçaram represálias maiores se as tropas quenianas não deixarem a Somália.

O comissário policial queniano Mathew Iteere disse mais cedo nesta segunda-feira que não havia nenhuma evidência firme que ligasse o ataque contra o bar à Al Shabaab. Altos funcionários do grupo se recusaram a comentar.

Nairóbi culpa a Al Shabaab por uma série de sequestros de estrangeiros em solo queniano que ameaçou a sua indústria multimilionária do turismo.

O grupo negou a responsabilidade pelos sequestros, dizendo que o governo queniano está usando-os como pretexto para a sua campanha militar.

(Reportagem de David Clarke e Duncan Miriri)

Mais conteúdo sobre:
QUENIANAIROBIEXPLODE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.