Falta de combustível gera blecautes em Gaza

Única usina de eletricidade foi fechada no sábado por causa de bloqueio israelense.

Aleem Maqbool, BBC

11 de maio de 2008 | 17h00

Blecautes generalizados vêm ocorrendo na Faixa de Gaza depois que a única usina de eletricidade do território foi fechada no sábado.Segundo as autoridades locais, a usina está sem combustível porque Israel não permitiu nenhuma entrega nos últimos cinco dias. O combustível acabou no sábado e, mais uma vez, não houve entrega neste domingo.No ano passado, o governo israelense aprovou o uso de cortes no fornecimento de combustível ao território como forma de pressionar os militantes palestinos que vivem no local.Mas agências de ajuda humanitária afirmam que serviços básicos serão afetados se a entrega de combustível não recomeçar logo.A usina de Gaza fornece eletricidade para cerca de um terço das casas do território. A maior parte do restante recebe eletricidade diretamente de Israel.O combustível é pago principalmente pela União Européia, mas como Gaza não tem terminais aéreos e portos para entrega, o território depende da passagem do produto pela fronteira israelense.No outono passado, em resposta a ataques com lançamento de foguetes por militantes palestinos, o governo de Israel declarou Gaza uma "entidade hostil" e restringiu o fornecimento de combustível.A Justiça israelense estabeleceu uma quantidade mínima de combustível que deveria ser entregue, mas organizações como Oxfam dizem que isso não tem sido respeitado.Autoridades israelenses dizem que a entrega de combustível foi interrompida por questões de segurança e que será retomada logo.Tem havido uma série de ataques por militantes palestinos em postos da fronteira nas últimas semanas.A ONU condenou os ataques, mas também classificou a resposta israelense de "injusta", já que os 1,5 milhão de moradores de Gaza enfrentam constante falta de produtos básicos. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.