Homem é preso por disparos em faculdade do Azerbaijão

Um homem foi preso na sexta-feira no Azerbaijão sob suspeita de ligação com a morte de 12 estudantes e funcionários da prestigiosa Academia do Petróleo, em Baku, cometida por um atirador que se matou em seguida, disse o Ministério Público local.

AFET MEHTIYEVA, REUTERS

01 de maio de 2009 | 11h24

Ainda não foram esclarecidas as motivações para o ataque de quinta-feira, em que a maioria das vítimas foi baleada na cabeça.

O gabinete do procurador-geral deste país muçulmano, mas laico, disse que a polícia deteve um amigo do atirador, oriundo da mesma região que ele, na vizinha Geórgia.

"Nadir Aliyev foi detido hoje em Baku como suspeito neste caso", disse o porta-voz à Reuters, sem entrar em detalhes.

O clima na faculdade é de luto. O ataque abalou a ex-república soviética, que tem um governo rígido e fornece petróleo do mar Cáspio para a Europa.

O atirador foi identificado como um georgiano de origem azeri, de 29 anos, descrito pela imprensa local como uma pessoa solitária, que deixou sua família na Rússia para procurar emprego em Baku.

A polícia manteve na sexta-feira o número de mortos em 13, inclusive o atirador suicida. A TV local ANS havia dito que 17 pessoas morreram.

Tudo o que sabemos sobre:
AZERBAIJAOTIROSPRESO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.