Iniciativa criada há dois anos serviu de laboratório

A proposta em discussão no Comitê Estratégico para Desenvolvimento de Novos Centros de Transplantes é um desdobramento do projeto Rede Nacional de Transplantes (Rentrans), coordenado pelo cirurgião Silvano Raia nos últimos dois anos em parceria com o Hospital Sírio-Libanês. A iniciativa é fruto de um acordo fechado em 2008 entre o Ministério da Saúde e seis hospitais filantrópicos para desenvolver projetos voltados à melhoria do SUS em troca de isenção fiscal.

Karina Toledo, O Estado de S.Paulo

12 Junho 2011 | 00h00

Ao longo dos últimos dois anos, Raia visitou os Estados considerados alvos, reuniu-se com governadores e secretários de Saúde e identificou hospitais candidatos a virar centro de transplante. Em alguns locais, a capacitação de equipes já foi iniciada e os resultados são visíveis. No Rio Grande do Norte, por exemplo, o índice de doadores de órgãos em 2009 era de 2,6 por milhão da população (pmp). Em 2010, esse número passou para 7,3 pmp e, no primeiro trimestre de 2011, para 15 pmp.

Já o número de transplantes de rim passou de 15 em 2009 para 51 em 2010. Estima-se que este ano serão feitas pelo menos 64 cirurgias.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.