Justiça Federal condena Daniel Dantas a 10 anos de prisão

A Justiça Federal condenou nesta terça-feira o banqueiro Daniel Dantas a 10 anos de prisão e ao pagamento de 12 milhões de reais por tentativa de suborno a um delegado da Polícia Federal. A decisão do juiz Fausto Martin De Sanctis, da 6a Vara do Tribunal Regional Federal em São Paulo, também condena o ex-presidente da Brasil Telecom Humberto José Rocha Braz e Hugo Sérgio Chicaroni. Ambos, que receberam pena de 7 anos de prisão em regime semi-aberto, também foram acusados de prática do crime de corrupção ativa. Os três acusados poderão recorrer da decisão em liberdade. Dantas foi acusado, pela PF e pelo Ministério Público Federal (MPF), de oferecer 1 milhão de dólares a um delegado para fazer com que os nomes dele e de outras pessoas fossem excluídos das investigações da Operação Satiagraha. O banqueiro Daniel Dantas chegou a ser preso, e logo libertado, em decorrência dessa operação, realizada pela PF em julho, para combater crimes financeiros. A operação também resultou na detenção, na época, do investidor Naji Nahas e do ex-prefeito de São Paulo Celso Pitta todos já liberados por determinação da Justiça. (Por Pedro Fonseca e Maria Pia Palermo)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.