Pacientes de E.coli de Bordeaux contraem a mesma cepa alemã

Duas pessoas que foram infectadas pela bactéria E.coli na cidade francesa de Bordeaux têm a mesma cepa da doença que causou muitas mortes na Alemanha, disseram autoridades francesas.

REUTERS

25 Junho 2011 | 10h06

O ministério do Comércio da França disse que ordenou que os mercados e lojas interrompam a venda de feno-grego, mostarda e sementes que o órgão de segurança do consumidor acredita terem sido fornecidos pela empresa britânica Thompson & Morgan, da cidade de Ipswich, enquanto uma possível ligação com a doença é investigada.

"A ligação entre os sintomas e o consumo dessas sementes ainda não foi definitivamente estabelecida," afirmou o ministério em comunicado emitido na sexta-feira.

"De acordo com informações de posse do DGCCRF (órgão de segurança do consumidor), a fornecedora á uma empresa britânica, a Thompson & Morgan, que tem sede em Ipswich," informou.

Enquanto aguarda o resultado da análise, o governo instruiu o DGCCRF "a pedir aos vendedores de feno-grego, mostarda e sementes da Thompson & Morgan que suspendam as vendas desses produtos imediatamente."

A empresa não respondeu aos pedidos de comentários feitos por telefone e e-mail.

Dez casos de E.coli foram detectados em Bordeaux, e sete pessoas ainda estavam hospitalizadas nesta sexta-feira, afirmou o médico João Simões, que chefia a agência de saúde regional.

Patrick Rolland, autoridade da agência, disse a jornalistas que os testes iniciais mostraram que dois dos pacientes tinham uma variação da E.coli idêntica à que causou quase 40 mortes, a maioria na Alemanha.

Autoridades da saúde na Alemanha ligaram a epidemia a brotos de feijão e outras sementes contaminados em uma fazenda orgânica da Alemanha, que vendeu suas mercadorias a consumidores e restaurantes.

Seis das pessoas internadas em Bordeaux comeram esses alimentos durante uma feira em um Begles, nos subúrbios de Bordeaux.

(Reportagem de Sophie Louet e Leigh Thomas)

Mais conteúdo sobre:
ECOLI FRANCA CEPA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.