Papa pede a jovens que não se distraiam com consumismo

O papa Bento 16, que encerra no domingosua visita à Austrália, pediu a uma multidão de 400 mil jovensque tomem cuidado com o "deserto espiritual" que costumaacompanhar a prosperidade moderna. No começo de seu último dia no país, o papa voou dehelicóptero sobre centenas de milhares de peregrinos quefizeram vigília a noite toda, antes da missa papal que encerraas comemorações do Dia Mundial da Juventude. "Em muitas de nossas sociedades, junto com a prosperidadematerial, se espalha um deserto espiritual --um vazio interior,um medo sem nome, um desespero quieto", disse ele em seusermão. Cerca de 200 mil peregrinos jovens acamparam pela noite,enfrentando temperaturas de até 8 graus Celsius. A multidãochegou a ter 400 mil pessoas pela manhã, quando chegaram os quedormiram em outros lugares, segundo os organizadores. Em um tributo aos nativos da região, um grupo de dançarinosdas ilhas do Pacífico Sul se apresentaram diante do papa comroupas de palha que contrastavam com o traje vermelho e douradodo pontífice. Mas a mensagem de Bento 16 aos jovens foi bastantetradicional --segundo o papa, eles têm de evitar "a liberdadefalsamente concebida" e procurar "o rio subterrâneo" de valorescristãos que os ajudará a construir suas vidas sobre basessólidas. Nos últimos cinco dias, a principal mensagem papal foi a deque os jovens devem ter coragem para ser católicos e viver sobos preceitos de sua religião de forma aberta e orgulhosa. A Igreja Católica, que tem cerca de 1,1 bilhão de membros,espera que o Dia Mundial da Juventude, criação do papa JoãoPaulo 2o, revitalize os católicos jovens numa época em que oculto ao individualismo e ao consumismo se tornam grandesdistrações em suas vidas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.